Clique e assine por apenas 4,90/mês

Crítica: Cleto Baccic esbanja talento como Dom Quixote em musical

Miguel Falabella dirige o belíssimo espetáculo "O Homem de La Mancha"

Por Renata Magalhães - 16 jun 2018, 13h00

 O Homem de La Mancha. A transposição da imortal trama do autor espanhol Miguel de Cervantes para um hospício brasileiro na década de 50 é o maior trunfo do musical, em cartaz no Teatro Bradesco. Aproximada de seu público no tempo e no espaço, a versão de Miguel Falabella para o espetáculo de Dale Wasserman também encanta pelas opções estéticas, tanto no grandioso cenário de Matt Kinley quanto nos esmerados figurinos de Claudio Tovar. Nos dois casos, a inspiração é o universo onírico de Arthur Bispo do Rosário (1911-1989) — o genial interno da Colônia Juliano Moreira. Curiosamente, o tom crítico do clássico da literatura se dilui em cena. À frente do elenco, o protagonista Cleto Baccic esbanja talento como ator e cantor. Na sessão vista, Jorge Maya (na pele do fiel escudeiro Sancho Pança) cativou o público, mesmo com problemas para atingir sua conhecida potência vocal (105min). 10 anos. Teatro Bradesco. Avenida das Américas, 3900, Barra. Quinta e sexta, 21h; sábado, 17h e 21h; domingo, 20h. R$ 75,00 a R$ 180,00. Até 15 de julho.

Publicidade