Continua após publicidade

E se Caetano fosse cineasta? Novo livro descortina antigo desejo do cantor

Cine Subaé, que será lançado nesta terça (21) em evento em prol do RS, reúne 64 textos, 12 entrevistas e 76 fragmentos de opiniões sobre filmes e diretores

Por Redação VEJA RIO Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
20 Maio 2024, 17h11

Se Caetano Veloso tivesse seguido um sonho de juventude, talvez hoje a música brasileira não tivesse um de seus grandes nomes. Houve um tempo em que o artista planejava se tornar diretor de cinema, e o amor do baiano pela sétima arte pode ser visto no livro Cine Subaé — Escritos Sobre Cinema (1960-2023), que ele lança nesta terça (21) no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea.

Na ocasião, ele conversa com os organizadores da publicação, Claudio Leal e Rodrigo Sombra, a partir das 20h. O encontro tem ingressos a 129 reais, incluindo um exemplar da obra, e terá parte do lucro revertido para a Ação 342 RS, que irá destinar fundos para ajudar os artistas e trabalhadores da cultura que estão sofrendo com as enchentes no Rio Grande do Sul.

+ Grandes nomes da MPB se unem em show em prol do Rio Grande do Sul

Cine Subaé reúne colunas de jornais, entrevistas, depoimentos e comentários, com as críticas publicadas no jornal O Archote, de Santo Amaro (BA), cidade natal do artista, entre 1960 e 1962. São 64 textos (sendo 46 inéditos em coletâneas de Caetano), 12 entrevistas e 76 fragmentos de opiniões sobre filmes e diretores que revelam o gosto e o vasto repertório cinematográfico do cantor e compositor, além da influência que alguns movimentos do cinema tiveram sobre sua obra.

Continua após a publicidade

O livro, que conta com introdução escrita por Caetano, traz ainda três argumentos inéditos de filmes jamais realizados pelo compositor, que dirigiu dois videoclipes e um longa, O Cinema Falado (1986). O texto de orelha é assinado pelo cineasta Orlando Senna, editor de algumas das primeiras críticas publicadas pelo artista na imprensa baiana.

Compartilhe essa matéria via:

Seus textos discutem os trabalhos de nomes tão diversos quanto Anna Karina, Carmen Miranda, Federico Fellini, Giulietta Masina, Glauber Rocha, Helena Ignez, Jean-Luc Godard, Julio Bressane, Kléber Mendonça Filho, Pedro Almodóvar, Rogério Sganzerla e Woody Allen, entre outros nomes marcantes do cinema nacional e internacional.

Continua após a publicidade

Teatro Clara Nunes. Shopping da Gávea. Rua Marquês de São Vicente, 52. Ter. (21), 19h (evento às 20h). R$ 129,00 (inclui um exemplar do livro). Ingressos pelo Sympla.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.