Veja a curiosa história por trás das grades do Campo de Santana

As grades originais do projeto do paisagista francês Auguste Glaziou foram retiradas nos anos 1940 para a abertura da Avenida Presidente Vargas

Estruturas de ferro que cercam uma das mais antigas áreas de lazer da cidade, o Campo de Santana (foto), contam a história da relação dos cariocas com o espaço público. No sítio histórico, palco da aclamação de dom Pedro I e da proclamação da República, as grades originais do projeto do paisagista francês Auguste Glaziou (1833-1906), feitas na fundição Val D’Osne, na França, foram retiradas nos anos 1940 para a abertura da Avenida Presidente Vargas e transferidas. Segundo a arquiteta Vera Dias, do site Inventário dos Monumentos do Rio, foram para a Urca e Vila Isabel — onde resguardam, respectivamente, a UFRJ e o parque Recanto do Trovador. O gradeamento foi reconstituído há cinquenta anos, durante a ditadura, depois que estudantes buscaram a área para se proteger durante manifestações contra o regime militar.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s