Dez programas imperdíveis para o fim de semana

VEJA RIO selecionou atrações para deixar seu fim de semana mais animado. Destaque para o show de Ney Matogrosso no Theatro Municipal

Ney Matogrosso

Ney Matogrosso

Ney Matogrosso (Ney Matogrosso/Divulgação)

Na maior turnê de sua carreira, o cantor volta aos palcos do Theatro Municipal com o show Atento aos Sinais, depois de quatro anos na estrada. A apresentação comemora a marca de 200 apresentações. Theatro Municipal. Praça Floriano, s/nº, Centro,  ☎ 2332-9191. Sábado (8), 20h30. R$ 160,00 (galeria) a R$ 280,00 (balcão nobre).

Concertinhos de Eva

Marcelo Caldi apresenta-se na série Concertinhos de Eva

Marcelo Caldi apresenta-se na série Concertinhos de Eva (Elisa Gaivota/Divulgação)

Idealizador e diretor da Orquestra Sanfônica do Rio de Janeiro, o músico Marcelo Caldi, que já se apresentou ao lado de Elba Ramalho, Gilberto Gil, Geraldo Azevedo e Chico César, volta-se para o público infantil na série Concertinhos de Eva, no sábado (8), na Fundação Eva Klabin. Influenciado pela sanfona nordestina, pelos tangos de Piazzolla e pelo repertório de craques como Sivuca e Dominguinhos, o show conta a história de Formiguinha, um inseto em busca de aventuras na floresta. Oito composições, parcerias de Caldi com a flautista Bebel Nicoli, que faz uma participação no espetáculo, integram o programa. Boa Tarde, Formiguinha, Que Inseto Sou Eu? e Tchau, Pessoal estão na lista. Fundação Eva Klabin. Avenida Epitácio Pessoa, 2480, Lagoa. Sábado (8), 16h. Grátis. Senhas distribuídas uma hora antes.

Gaudí: Barcelona, 1900

 (Felipe Fittipaldi/Veja Rio)

Um artista de estilo único domina a mostra Gaudí: Barcelona, 1900, a próxima atração do MAM. O acervo reúne 46 maquetes, três delas em grandes dimensões, de obras do arquiteto catalão Antoni Gaudí (1852-1926), a exemplo do famoso e inacabado templo da Sagrada Família (foto). Peças de design, entre objetos e mobiliário, refletem a influência de Gaudí na trajetória do modernismo em Barcelona. Completam a coleção trabalhos de contemporâneos como os pintores Ramón Casas e Santiago Rusiñol. Confira cinco atrações imperdíveisMuseu de Arte Moderna. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Flamengo. Terça a sexta, 12h às 18h; sábado e domingo, 11h às 18h. R$ 14,00. A partir de quinta (16). Até 30 de abril.

A Cabana

 (AdoroCinema/Divulgação)

Só no Brasil, o livro vendeu mais de 4 milhões de exemplares. Se todos os leitores de A Cabana forem ao cinema para conferir sua adaptação, teremos um sucesso de bilheteria. A procura, certamente, será grande. O best-seller foi escrito pelo canadense William P. Young e parte de um drama para pregar conceitos cristãos. Na trama, Mack Phillips (Sam Worthington) tem uma família perfeita. Os três filhos são seus xodós, mas uma tragédia se anuncia quando ele vai passar uns dias num acampamento. A caçula desaparece e, na sequência, é encontrada morta. Mack entra em depressão e tem sua fé abalada. Recebe, então, uma carta com o pedido para que vá à cabana onde a garotinha foi assassinada por um maníaco. Perto de lá, entra em contato, espiritualmente, com a Santíssima Trindade: Pai (Octavia Spencer), Filho (Avraham Aviv Alush) e Espírito Santo (Sumire Matsubara). O trio fará com que o protagonista tenha um acerto de contas com suas crenças. Nada contra o estilo doutrinário do roteiro. O problema está na longuíssima duração, nos intermináveis (e didáticos) diálogos e, sobretudo, na falta de emoção, ingrediente fundamental para a história. Direção: Stuart Hazeldine (The Shack, EUA, 2017, 132min). 12 anos.

Homenagem a Jorge Ben Jor

 (Leo Aversa/Divulgação)

Na avant-première, um espetáculo fechado realizado no dia 14 de março, no Vivo Rio, Samuel Rosa e seus colegas do Skank fizeram bonito, imprimindo pegada rock ao repertório. Céu também se desdobrou, diante do belo ambiente de projeções de padrões coloridos e cenas de cinema. Apesar do esforço da banda mineira e da cantora paulista, a plateia só se levantou das cadeiras, mesmo, quando entrou no palco o carioca Jorge Ben Jor, o homenageado da noite.

O encontro de gerações em torno do autor de belezuras do naipe de Zumbi, O Homem da Gravata Florida e Mas que Nada, todas incluídas no show, se repete no domingo (9), a partir das 17h, de graça, na Praia de Ipanema, em nova edição do projeto Nivea Viva. O baile, dessa vez, vai ser na areia. Praia de Ipanema. Avenida Vieira Souto, altura do número 716 (Jardim de Alah). Domingo (9), 17h. Grátis.

Tom na Fazenda

 (José Limongi/Divulgação)

A violência no texto do canadense Michel Marc Bouchard explode em coreografadas cenas de luta, porém impressiona mais pelo que sugere. Um toque visceral, como poucas vezes se viu em cena, é evocado pelo cenário de Aurora dos Campos e pelas atuações de Gustavo Vaz e Armando Babaioff (também o tradutor do texto, inédito no Brasil). No palco, Babaioff dá vida a um publicitário que viaja até a cidade rural onde vive a família de seu recém-falecido namorado. No velório, o choque: ninguém sabia de sua existência e todos parecem desconhecer a sexualidade do parente morto. Discussões sobre amor e preconceito emergem de conflitos do protagonista com o cunhado (Vaz), um capiau homofóbico, e com a matriarca (Kelzy Ecard, cujo desempenho delicado realça a crueldade da situação). Apoiada pela iluminação de Tomás Ribas, a direção de Rodrigo Portella experimenta linguagem fora do convencional, sem se sobrepor ao texto e às interpretações (110min). 18 anos. Oi Futuro Flamengo. Rua Dois de Dezembro, 63, Flamengo. Quinta a domingo, 20h. R$ 15,00. Até 14 de maio.

Pitanga

 (Divulgação/Divulgação)

Impressionam a vitalidade, o otimismo e o bom humor do baiano Antonio Pitanga. Aos 77 anos, o emblemático ator do cinema novo recebe belíssima homenagem em Pitanga, documentário dirigido por sua filha, a estrela Camila Pitanga, e Beto Brant. O formato sai da zona de conforto e mostra encontros de Pitanga com amigos e colegas que trabalharam com ele ao longo de cinco décadas. São divertidos, emocionantes e descontraídos os papos com Caetano Veloso, Maria Bethânia, Zezé Motta, Selma Egrei, Ítala Nandi, Zé Celso Martinez Corrêa, Hugo Carvana, entre outros. Além das entrevistas, há cenas em família e farto material de arquivo com imagens de Pitanga em filmes como A Grande Feira, Barravento, Ganga Zumba, Joanna Francesa, A Idade da Terra, Rio Babilônia e Quilombo. Direção: Beto Brant e Camila Pitanga (Brasil, 2016, 113min). 12 anos.

Bita e a Imaginação que Sumiu

Show do Bita

Show do Bita (Guilherme Paiva/Divulgação)

Dirigido por Alessandra Colasanti, o espetáculo Bita e a Imaginação que Sumiu, para a garotada de até 3 anos, reestreia sua versão adaptada do fenômeno no YouTube. Em cena, João Velho encarna o personagem-título e, ao lado de outros cinco atores, solta a voz em busca do principal combustível desse universo: a imaginação. Imperator. Rua Dias da Cruz, 170, Méier. Sábado e domingo, 16h. R$ 40,00. Até o dia 30.

Espaço Cultural Casa de Baco

 (Bruna Thimotheo/Divulgação)

Em momentos de crise, surgem as alternativas. Atento à dificuldade de agenda para encenações de grupos alternativos, o produtor Sandro Rabello se uniu à atriz Alice Steinbruck para reformar uma casa na Glória e transformá-la em um pequeno teatro. Após um investimento de cerca de 500  000 reais, o Espaço Cultural Casa de Baco começa a funcionar a partir de sexta (7), com a reestreia de Imagina Esse Palco que Se Mexe, espetáculo de Moacir Chaves que mistura conceitos de física a situações cotidianas. Rua da Lapa, 243, Glória. Sexta a domingo, 19h30. R$ 30,00. Até o dia 30.

Nelson Félix

 (Guilherme Begué e Cristiano Burlan/Divulgação)

O carioca Nelson Félix apresenta a quarta e última parte da série O Método Poético para Descontrole da Localidade, iniciada em 1984. Intitulada Trilha para 2 Lugares e Trilha para 2 Lugares, a exposição, a partir das 15h de sábado (8) no Museu de Arte Moderna, reúne, em vídeos de Guilherme Begué e Cristiano Burlan, a vivência do artista na cidade argentina de Santa Rosa e na ilha grega de Cítera (foto). Completa o acervo uma gigantesca obra: um cabo de aço de 35 metros atravessará o espaço em tensão máxima, a ponto de emitir um som que será captado e amplificado. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo. Terça a sexta, 12h às 18h; sábado e domingo, 11h às 18h. R$ 14,00. Até 4 de junho.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s