Dez programas imperdíveis neste fim de semana

VEJA RIO selecionou dez atrações para deixar seu fim de semana mais animado. Destaque para o show da cantora Céu, no Circo Voador

Mart’nália

 (Eny Miranda/Divulgação)

Dois ícones da música brasileira, Vinicius de Moraes e Noel Rosa já povoavam o repertório variado da cantora. Agora, a filha de Martinho da Vila une os dois mestres em um tributo inédito, em duas sessões na Lagoa. Do primeiro, entram clássicos como Samba da Bênção e Tarde em Itapoã. Com que Roupa? e Filosofia são algumas das pérolas de Noel entoadas pela artista. 

Blue Note Rio. Avenida Borges de Medeiros, 1424, Lagoa. Sábado (2), 20h e 22h30. R$ 140,00 (lounge) e R$ 180,00 (lounge premium).

Céu

 (Rafael Monteiro/Divulgação)

Grávida do segundo filho, a cantora paulista prepara-se para dar uma pausa nos palcos e oferece aos cariocas a derradeira chance de conferir ao vivo o show Catch a Fire, em que interpreta na íntegra o clássico disco gravado por Bob Marley and The Wailers em 1973. Concrete Jungle, Kinky Reggae e Stir it Up estão na lista. O combo de rap feminino Rimas & Melodias, que tem Tássia Reis entre as integrantes, e o DJ Marcelinho da Lua completam o line-up. 

Circo Voador. Arcos da Lapa, s/nº, Lapa. Sábado (2), a partir das 22h. R$ 100,00 (1º lote).

Tim Reynolds

 (Chris Bickford/Divulgação)

Fiel escudeiro do sul-africano Dave Matthews, o guitarrista Tim Reynolds esmiúça em show-solo acústico sua bagagem de mais de 35 anos de carreira. Chegado a improvisações, o exímio instrumentista explora com habilidade gêneros como rock, jazz, blues e reggae, e encara versões para clássicos de Led Zeppelin, Peter Gabriel e Jethro Tull. No palco da Lagoa, o alemão radicado nos Estados Unidos recebe os convidados Carlos Malta e Pedro Agapio, vocalista e violonista da 3Steps, cover oficial da Dave Matthews Band, que divide com o anfitrião sucessos do grupo: Crush, Lie in Our Graves e #41 são algumas que costumam entrar no setlist. 

Blue Note Rio. Avenida Borges de Medeiros, 1424, Lagoa. Sexta (1º), 20h. R$ 150,00.

Colagem Contemporânea

 (Bhering/Divulgação)

Após temporada em Nova York, a artista paulistana Sofia Lemos retorna ao Brasil com a exposição Colagem Contemporânea. As obras, em exposição no sábado (2) dentro da Fábrica Bhering, exploram assuntos como a feminilidade e as inquietudes humanas: recortes de jornais e revistas são transformados em novas realidades. A mostra conta ainda com a participação do coletivo carioca She Rocks e com uma oficina de colagem.

 Fábrica Bhering (Galeria do 3º andar). Rua Orestes, 28, Santo Cristo. Sábado (2), 13h às 20h. Grátis.

Cria

 (Renato Mangolin/Divulgação)

Novo espetáculo do grupo Suave, Cria mescla leva para o palco uma grande mistura de estilos, amarrada pelo olhar atual da coreógrafa Alice Ripoll. Após uma curta temporada no Espaço Municipal Sergio Porto, chega a vez do centro Coreográfico receber apresentações: a partir desta quinta (30), a montagem mostra toda a ginga do passinho, dança nascida nas favelas, com toques de dança contemporânea. Dez dançarinos, que desenvolveram o trabalho junto com a diretora ao longo de um ano,  passeiam pela dança afro, o afrofunk, o passinho, a dancinha, o contato-improvisação e ainda por uma elaborada pesquisa sonora.

Centro Coreográfico da Cidade do Rio de Janeiro. Rua José Higino, 115, Tijuca. Quinta (30) a sábado (2), 20h; domingo (3), 18h. R$ 20,00.

Dançando no Escuro

 (Elisa Mendes/Divulgação)

A adaptação teatral para o filme de Lars von Trier é protagonizada por Juliane Bodini. 

Teatro da UFF. Rua Miguel de Frias, 9, Icaraí, Niterói. Sexta a segunda, 20h. R$ 50,00. Até segunda (4)

Utopia D — 500 Anos Depois

 (Daniel Barboza/Divulgação)

Com cenário e iluminação minimalistas, o texto é o protagonista do novo espetáculo dirigido por Moacir Chaves. Ainda que excelentes atores, Josie Antello e Julio Adrião (foto) palestram de forma (bastante) didática ao trazer para o palco trechos do livro Utopia, do filósofo Thomas More (1478-1535). Em compensação, é interessante perceber como a história de um reino sem propriedade privada nem intolerância religiosa, publicada originalmente em 1516, faz refletir sobre o atual cenário sociopolítico brasileiro (60min). 14 anos. 

Teatro Glauce Rocha. Avenida Rio Branco, 179, Centro. Sexta a domingo, 19h. R$ 40,00. Até o dia 30.

Casuarina

 (Felipe Giubieli/Divulgação)

O grupo de samba Casuarina apresentará o novo single “Eta Lelê” em um show no Imperator, neste sábado (2).  O lançamento da música será feito um dia antes do show em todas plataformas digitais. Com nova formação, após a saída do vocalista João Cavalcant, o grupo se prepara para o próximo trabalho: +100, que celebrará o centenário do samba.

Show do casuarina. Imperator.  Rua Dias da Cruz, 170. Méier. Sábado (2), às 21h. Classificação: 16 anos. Ingressos: 1º lote: R$ 40. 2º lote: R$ 50. 3º lote: R$ 60.

Solar Hacks

 (Mariana Aydar/Divulgação)

Para celebrar o verão e o universo feminino, a Casa Ipanema recebe no próximo sábado (2) o Solar Hacks, com show, oficina de dança e exposição gratuitos de artistas mulheres. A partir das 17h, a DJ Yasmin Vilhena comanda o som , abrindo um dia de celebração do bem-estar. Às 18h, a dançarina Thais Carla, que acompanha a cantora Anitta no palco e incentiva mulheres plus size a se sentirem bem com seu corpo, comanda uma aula no terceiro andar do espaço. O evento terá ainda pocket show da cantora e compositora Mariana Aydar, que apresenta seu forró eletrizado com sintetizadores, cordas, zabumba e sanfona, às 19h. No roteiro, canções como Te Faço um Cafuné, originalmente interpretada por Dominguinhos, tema da novela A Força do Querer. No primeiro andar, a artista Paula Costa expõe uma instalação da série Transborda, que experimenta infinito e transitório simultaneamente ao criar obras de matéria orgânica que inspiram reflexão sobre passagem do tempo.

Casa Ipanema.  Rua Garcia d’Avila, 77, Ipanema. Sábado (2), das 17h às 20h. Grátis.

Com amor, Van Gogh

 (Van Gogh/Reprodução)

Os números impressionam, e o resultado também. Para realizarem Com Amor, Van Gogh, 125 artistas criaram 65 000 frames pintados a óleo. Tudo para reproduzir o estilo impressionista do grande pintor holandês Vincent van Gogh (1853-1890). Vencedora do prêmio popular de melhor filme de ficção na recente Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, a animação merece, ao menos, ser indicada ao Oscar. Para saírem do lugar-­comum, os diretores e roteiristas Dorota Kobiela e Hugh Welchman tiveram uma ideia curiosa. Eles abriram mão de fazer uma cinebiografia e partiram para uma investigação. Na trama, um jovem chega a Auvers-sur-Oise de posse da última carta de Van Gogh. Faz um ano que o pintor morreu, e, em busca da verdadeira causa do suicídio dele, o moço procura as pessoas de seu convívio. Entre elas estão o doutor Gachet, que tratava as crises depressivas de Van Gogh, e sua governanta, Louise Chevalier. Além dos personagens, há cenários e ícones marcantes (como os girassóis) presentes no filme. Van Gogh, criador de tantas obras-primas expostas em museus, certamente aprovaria esse belíssimo trabalho em sua homenagem. Direção: Dorota Kobiela e Hugh Welchman (Loving Vincent, Inglaterra/Polônia, 2017, 94min). 12 anos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s