Crítica: Daniele Small estreia como diretora em peça sobre arte

Lugar da mulher latino-americana na arte é colocado em xeque a partir de uma troca de correspondências entre artistas vividas entre as décadas de 60 e 80

 Há Mais Futuro que Passado. Um enigma domina a cena: qual é o lugar da mulher latino-americana na história da arte? Em busca de referências fora da Europa, a diretora estreante Daniele Avila Small pesquisou artistas dos anos 60 a 80, como a argentina Kati Horna e a cubana Antonia Eiriz, e apresenta, na forma de uma palestra ministrada pelas atrizes Tainah Longras, Clarisse Zarvos e Cris Larin, uma troca de correspondência entre elas. O formato pode cansar, mas é compensado por divertida surpresa ao final (90min). 16 anos. Sesc Copacabana. Rua Domingos Ferreira, 160, Copacabana. Sexta e sábado, 19h; domingo, 18h. R$ 25,00. Até 9 de abril.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s