Confira os destaques musicais da semana

Reunião dos Tribalistas, turnê do guitarrista americano Al di Meola e releituras de Tom Jobim por Fernanda Takai estão entre as principais atrações

Carlinhos Brown, Marisa Monte e Arnaldo Antunes: a volta dos Tribalistas

Carlinhos Brown, Marisa Monte e Arnaldo Antunes: a volta dos Tribalistas (Daniel Mattar/Divulgação)

Turnê inédita

O encontro de Marisa Monte, Arnaldo Antunes e Carlinhos Brown no projeto Tribalistas, em 2002, foi um acontecimento. Fenômeno mundial, o álbum homônimo vendeu mais de três milhões de cópias – sem um único show dos artistas. Quinze anos depois, o trio surpreendeu os fãs com o anúncio de um segundo disco em agosto, através de uma transmissão ao vivo no Facebook em que foram antecipadas quatro das dez novas faixas. Para apresentar o repertório tinindo, renovado por canções embaladas por pop solar elaborado, como Diáspora, Fora da Memória e Um Só, o grupo cai na estrada pela primeira vez, acompanhado por um time de peso: Dadi Carvalho (baixo, guitarra, bandolim e teclados), Pedro Baby (violão e guitarra), Pretinho da Serrinha (cavaquinho) e Marcelo Costa (bateria). Em duas noites aguardadíssimas, eles passeiam por novidades e pelas já manjadíssimas Velha Infância e Já Sei Namorar, do primeiro trabalho. Marina da Glória. Avenida Infante Dom Henrique, s/nº, Glória. Sexta (3) e sábado (4), 22h. R$ 280,00 (pista, 2º lote) e R$ 500,00 (camarote).  

Al Di Meola: pioneiro do latin jazz fusion

Al Di Meola: pioneiro do latin jazz fusion (Ben Wolf/Divulgação)

Latinidade elétrica

Um pioneiro na fusão do jazz com ritmos latinos, o guitarrista e compositor americano Al di Meola integrou, nos anos 70, o supergrupo Return to Forever, que eletrificou o gênero, capitaneado pelo tecladista Chick Corea, ao lado de virtuoses como o baixista Stanley Clarke e os brasileiros Airto Moreira (percussão) e Flora Purim (voz). Nas décadas seguintes, dedicou-se a explorar as harmonias do flamenco, do tango e da música brasileira, em álbuns como Friday Night in San Francisco, gravado com Paco de Lucía (1947-2014) e o inglês John McLaughlin, em que interpretavam uma canção de Egberto Gismonti, Frevo Rasgado. Na turnê de seu novo disco, Opus, o músico mostra versões acústicas do repertório inédito e de composições de Astor Piazzolla (1921-1992), outra grande influência, John Lennon e Paul McCartney. Teatro Bradesco. Avenida das Américas, 3900 (VillageMall), Barra. Quarta (1º), 21h. R$ 220,00 (frisas) a R$ 280,00 (plateia baixa).

Leoni e Leonardo: pérolas do rock nacional oitentista

Leoni e Leonardo: pérolas do rock nacional oitentista (Carolina Warchavsky/Divulgação)

Dupla roqueira

Não se deixe enganar pelo nome de dupla sertaneja: o show de Leoni & Leonardo reúne dois representantes do rock nacional dos anos 80. De um lado, Leoni empunha o baixo, como nos tempos de Kid Abelha e Heróis da Resistência. Do outro, na guitarra, o irreverente Leo Jaime. Apoiado por um trio de músicos, o duo revisita sucessos daquela época, do naipe de Nada Mudou, Rock Estrela, Como Eu Quero e Pintura Íntima, além de parcerias entre os dois, caso de Solange e Fórmula do Amor. Esta última ganha agora uma sequência, o primeiro single do novo projeto, que promete ser uma das surpresas do show. Vivo Rio. Avenida Infante Dom Henrique, 85, Parque do Flamengo. Sexta (3), 22h. R$ 100,00 (setor 4) a R$ 220,00 (setor vip e camarote A).

Fernanda Takai e Roberto Menescal: releituras do jovem Tom Jobim

Fernanda Takai e Roberto Menescal: releituras do jovem Tom Jobim (Marcos Mibach/Divulgação)

Um outro tom

Vocalista da banda mineira Pato Fu, Fernanda Takai empresta a voz doce e segura a composições pouco conhecidas de Tom Jobim, garimpadas com Roberto Menescal e Marcos Valle para o disco O Tom da Takai. A dupla, que assina produção e arranjos do CD, acompanha a cantora ao vivo em dois sets no Blue Note, em canções como Bonita, Samba Torto, Estrada do Sol, Ai Quem Me Dera e Brigas Nunca Mais, algumas das primeiras feitas pelo maestro da bossa nova. Blue Note. Avenida Borges de Medeiros, 1424, Lagoa. Sexta (3), 20h e 22h30. R$ 150,00.

Lulinha de Alencar e Mestrinho: tributo a Dominguinhos

Lulinha de Alencar e Mestrinho: tributo a Dominguinhos (José de Holanda/Divulgação)

 O canto da sanfona

Devotos de Dominguinhos (1941-2013), os sanfoneiros Lulinha Alencar e Mestrinho prestam tributo ao mestre no álbum ToCantE, que reverencia também o Rei do Baião Luiz Gonzaga (1912-1989) e essa terceira geração do instrumento, a qual pertencem, que reinventa ritmos como forró e xote. Faixas autorais, como O Meu Último São João, composta por Lulinha em lembrança a turnê derradeira com Dominguinhos pelo circuito de festas juninas do Nordeste, em 2012, dividem espaço com clássicos do homenageado. Na primeira noite, a dupla terá a companhia do violão de Yamandú Costa. Na segunda, quem assume o instrumento é Rogério Caetano. Casa do Choro. Rua da Carioca, 38, Centro. Quinta (2) e sexta (3), 19h. R$ 40,00.

Quem É Quem: João Donato revisita seu histórico álbum

Quem É Quem: João Donato revisita seu histórico álbum (Arte/Reprodução)

Histórias e canções

Estreando a série Discos Históricos da MPB, João Donato celebra os 45 anos de lançamento do cultuado Quem É Quem, que marcou o retorno do músico ao Brasil, depois de quinze anos vivendo nos Estados Unidos. O roteiro apresenta na íntegra e na ordem original clássicos como A Rã, Até Quem Sabe e Amazonas. A noite prevê ainda um bate-papo com o compositor, arranjador e pianista, que revela detalhes e curiosidades sobre as gravações. Sala Baden Powell. Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360, Copacabana. Sábado (4), 20h. R$ 60,00.

René Ferrer e convidados: baile caribenho

René Ferrer e convidados: baile caribenho (Manouche/Divulgação)

Baila comigo

Cubano radicado no Rio desde 2003, o cantor, compositor e multi-instrumentista René Ferrer é o anfitrião de um baile caribenho, que sacode a pista com ritmos de sua terra natal e releituras do cancioneiro popular brasileiro. Com o apoio dos músicos Bernardo Bosisio (guitarra), Glaucio Ayala (bateria), Dudu Oliveira (sax e flauta) e João Rafael (baixo), composições como Se Você Jurar (Ismael Silva) e Fadas (Luiz Melodia) ganham roupagem festiva embalada pela salsa. Manouche. Rua Jardim Botânico, 983, Jardim Botânico (Casa Camolese). Sexta (3), 21h). R$ 40,00 (com 1 quilo de alimento não perecível) e R$ 60,00.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s