Confira catorze atrações gratuitas para curtir o fim de semana

Um guia com programas para se divertir sem gastar dinheiro, com exposições, festas e outras atrações 

ESPORTES

Praia Para Todos

O Projeto Praia Para Todos retoma as atividades de acessibilidade neste verão. Das 9h às 14h, de sábado e de domingo, portadores de necessidades especiais poderão participar do banho de mar assistido, vôlei sentado, surf e Stand up paddle adaptado. Até 30 de abril de 2016. Clique para saber mais.

Runbase Rio


runbase_26runbase_26

 (/)

Recém-inaugurada pela Adidas, a casa de apoio a corredores amadores recebe os cariocas. Instalado na Lagoa Rodrigo de Freitas, em frente ao Parque da Catacumba, o espaço funcionará diariamente entre 6h e 21h (segunda a sexta) e de 8h às 14h (sábado e domingo). O local oferece ao público empréstimo de diversos modelos de tênis de corrida da marca, vestiários com chuveiros, armários, além do teste de pisada, importante para identificar que tipo de tênis se adequa melhor a cada pessoa. Clique para saber mais.

FEIRA RIO ANTIGO


Feira Rio AntigoFeira Rio Antigo

 (/)

A tradicional Feira Rio Antigo, promovida mensalmente na Rua do Lavradio, no Centro, terá a sua primeira edição de 2016 no sábado (2). A atração musical da vez é o grupo Batuke Que Chama, que vai tocar clássicos do samba e da MPB, a partir das 16h30,  no palco montado em frente à Praça Emilinha Borba, na esquina da Lavradio com a Rua do Senado. Com entrada gratuita, a feira acontece no trecho entre a Avenida Mem de Sá e a Visconde de Rio Branco, das 10h às 19h.

RENDEZ VOUS


23 Ocean Lounge_Rendez Vous23 Ocean Lounge_Rendez Vous

 (/)

No topo do hotel Caesar Park, com vista privilegiada para o pôr do sol na orla de Ipanema, a festa ocupa, de quinta a sábado, o bar 23 Ocean Lounge, inaugurado em outubro. A partir das 19 horas, o evento estimula uma esticadinha depois da praia, bem em frente. À beira da piscina, o DJ francês Jérôme Pigeon, mais conhecido como Gringo da Parada e fundador do bar Favela Chic em Paris, comanda os pick ups com sua mistura de raridades da MPB, rock e muito groove. Para bebericar, o barman Renato Tavares criou drinques como o que leva o nome da festa, com vodca, suco de melancia e gengibre (R$ 21,00), ou o nordeste, de cachaça, cravo, canela, pimenta dedo-de-moça e cacau (R$ 30,00). Na ala de comidinhas, pedidas como cachorro-quente de lagostim (R$ 42,00) e ceviche de crustáceos (R$ 50,00) foram elaboradas pelo chef Willians Halles. Na quinta (31) e na sexta (1º), a festa, que segue pelo menos até o fim de janeiro, terá menu fechado para o réveillon. Nos demais dias, a entrada é gratuita.

23 Ocean Lounge. Avenida Vieira Souto, 460, 23º andar (Hotel Caesar Park), Ipanema,  2525-1260 (100 lugares). Sábado (2), 19h/22h. Grátis.

CRIANÇAS

✪✪✪✪✪ Castelo Rá-Tim-Bum — A Exposição


Castelo Rá-Tim-BumCastelo Rá-Tim-Bum

 (/)

Com curadoria de André Sturm, diretor executivo do MIS de São Paulo, a imperdível exposição reproduz, em detalhes, doze cenários da premiada série, exibida na década de 90 pela TV Cultura. Depoimentos, fotos, croquis, maquete, bonecos, roteiros e figurinos do programa enriquecem a visita.

Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Primeiro de Março, 66, Centro,  3808-2020. → Quarta a segunda, 9h às 21h. Grátis. O espaço estará fechado na quinta (31) e na sexta (1º). Até 11 de janeiro.

Sonhos de Natal


sonhos-de-natal-11sonhos-de-natal-11

 (/)

Em um ambiente de 1 000 metros quadrados, a exposição reúne cenários e promove o encontro de personagens clássicos das histórias infantis, a exemplo de Cinderela, Chapeuzinho Vermelho e Elsa, com Papai e Mamãe Noel, ícones da celebração de fim de ano. Os miúdos podem ainda deixar pedidos de presentes com um “carteiro”. Completam o programa o tradicional Presépio Napolitano, com mais de 3 500 peças, e a apresentação teatral Volta ao Mundo em Um Dia, que aborda a corrida do Bom Velhinho e seus amigos para entregar os presentes natalinos a tempo. Livre.

Fundação Cesgranrio. Rua Santa Alexandrina, 1122-B, Rio Comprido,  2103-9600. Quinta a domingo, 14h às 21h (exposição) e 15h, 17h e 19h (sessões de teatro). Grátis. A doação de 1 quilo de alimento não perecível é opcional. O espaço estará fechado na quinta (31) e na sexta (1º). Até 3 de janeiro.

EXPOSIÇÕES

Walter Goldfarb

Em 1995, Walter Goldfarb exibiu seus trabalhos pela primeira vez ao público, no Centro Cultural Correios. Vinte anos depois, o artista plástico volta ao espaço para celebrar a efeméride com um apanhado de sua trajetória. Em Retrospectiva 1995-2015: Ela Não Gostava de Monet, o carioca mostra quarenta trabalhos, escolhidos pela curadora Vanda Klabin e pertencentes a coleções institucionais e particulares. A seleção recai sobre seis séries de obras: Teatros Bíblicos, Branca, Negra, Teatros do Corpo, Lisérgica e Brinquedo de Roda, a mais recente, inspirada nas cantigas de Heitor Villa-Lobos. As criações revelam o meticuloso trabalho artesanal de Goldfarb, com o emprego de técnicas variadas e incomuns, característica de sua trajetória. É o caso, por exemplo, de Paixão Delirante e Inquisição no Teatro Lisérgico (2010), trabalho de técnica mista produzido com fusain (um tipo de carvão), laca, óleo e acrílica sobre tela.

Centro Cultural Correios. Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro,  2253-1580. →Terça a domingo, 12h às 19h. O espaço estará fechado na quinta (31) e na sexta (1º). Grátis. Até 28 de fevereiro.

Carla Chaim


Carla ChaimCarla Chaim

 (/)

Em Colapso da Onda, a criadora exibe uma instalação feita especificamente para o local e um livro de artista. O uso de grafite em pó une os dois trabalhos.

Rua Primeiro de Março, 66, Centro,  3808-2020. → Quarta a segunda, 9h às 21h. O espaço estará fechado na quinta (31) e na sexta (1º). Grátis. Até 4 de janeiro.

As Vistas Lumière e os 450 anos do Rio de Janeiro

Durante anos, os irmãos Auguste e Louis Lumière, os pais do cinema, registraram com uma câmera estática o movimento das ruas em várias cidades. Vinte desses documentários, com cerca de três minutos cada um, são apresentados em conjunto com imagens capturadas por celulares de cegos, alunos do Instituto Benjamin Constant.

Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro,  2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. O espaço estará fechado na quinta (31) e na sexta (1º). Grátis. Até 21 de fevereiro.

Roberto Moriconi

O escultor italiano apresenta suas obras na individual Tudo Matéria de Arte.

Rua Visconde de Itaboraí, 20, Centro,  2253-1580. → Terça a domingo, 12h às 19h. O espaço estará fechado na quinta (31) e na sexta (1º). Grátis. Até 21 de fevereiro.

✪✪✪✪ Cartazes de Viagem, 1910-1970 — Coleção Berardo


Cartazes de Viagem, 1910-1970 — Coleção BerardoCartazes de Viagem, 1910-1970 — Coleção Berardo

 (/)

Com sua indiscutível vocação de cartão-postal do Brasil, o Rio sempre teve primazia na divulgação do país como destino turístico atraente para o público estrangeiro. Em cartaz no Museu Histórico Nacional, esta surpreendente mostra reúne quarenta pôsteres criados por companhias aéreas e marítimas de várias partes do mundo, todos exaltando a cidade. O recorte cronológico, iniciado em 1910, ano da abertura do Porto do Rio, revela ao visitante imagens com um Corcovado ainda sem a estátua do Cristo Redentor. O morro em questão, aliás, o Pão de Açúcar e a Baía de Guanabara são símbolos recorrentes. A evolução dos cartazes exibidos, todos de enorme beleza, espelha transformações na arte e na publicidade. Além disso, a exposição traz uma sériede textos que fornecem um ótimo panorama histórico sobre o hábito de viajar, relacionando o Brasil e o Rio com o que acontecia no mundo. Cardápios de transatlânticos e aviões, selos e outros objetos de companhias de viagem completam o acervo. Clique para saber mais.

Praça Marechal Âncora, s/nº, Centro,  2550-9220. → Grátis aos domingos. Até 20 de março.

✪✪✪✪ A Viagem das Carrancas

Marcel GautherotMarcel Gautherot

 (/)

Ornamentar embarcações com figuras esculpidas foi um hábito cultivado por praticamente todas as civilizações, seja para torná-las reconhecíveis de imediato, seja para, de acordo com a crença, protegê-las contra maus espíritos e monstros marinhos. Em 1946, percorrendo um trecho do Rio São Francisco ao lado do etnólogo Pierre Verger (1902-1996) durante um trabalho de documentação das populações ribeirinhas, Marcel Gautherot (1910-1996) voltou sua câmera para essas esculturas, que com frequência cruzavam seu caminho. Quarenta daqueles registros estão reunidos em A Viagem das Carrancas. Como de hábitono Instituto Moreira Salles, a montagem da exposição é primorosa. Às fotografias de Gautherot, extraindo beleza mesmo de figuras monstruosas, soma-se uma coleção de 37 dessas imponentes carrancas — sete delas estão entre as clicadas e aparecem junto às respectivas imagens. Uma, construída por Afrânio, o primeiro escultor desse tipo de peça conhecido, adornava a Minas Gerais, a maior embarcação a ter navegado o São Francisco. A mostra inclui ainda trabalhos de Francisco Biquiba Dy Lafuente Guarany, o mais respeitado criador de figuras de proa no país, incluindo seis “não navegadas”, ou seja, criadaspor encomenda de colecionadores.

Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea,  3284-7400 e 3206-2500. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. O espaço estará fechado na quinta (31) e na sexta (1º). Até 20 de março.

Cássio Loredano

Habituado a flanar pela cidade — sempre a pé, de táxi ou de ônibus, já que não tem carteira de motorista —, o artista empresta seu ilustre traço a cenas cariocas na mostra Rio, Papel e Lápis, em cartaz no Instituto Moreira Salles. Em 35 belos desenhos, todos em preto e branco, produzidos com grafite, nanquim, esferográfica e aquarela, o conceituado ilustrador retrata o chafariz do Mestre Valentim, o imóvel em Santa Teresa chamado de Casa dos Azulejos, o edifício do Museu de Arte Moderna, a fachada da Confeitaria Colombo, a sede do Botafogo e a do Fluminense, entre tantas outras paisagens. É uma oportunidade rara de ver o superlativo talento de Loredano, colaborador de importantes veículos da imprensa mundial, mais conhecido por suas caricaturas, a serviço de outro tipo de trabalho. Curiosamente, ele foge dos clichês de natureza atribuídos à cidade e investe em obras do engenho humano. Para além da sofisticação do traço, singular em sua harmonia entre detalhismo e despojamento, chama atenção a completa ausência de pessoas nas ilustrações, valorizando ainda maisa beleza das construções.

Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea,  3284-7400 e 3206-2500. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. Grátis. O espaço estará fechado na quinta (31) e na sexta (1º). Até 9 de janeiro.

✪✪✪✪✪ Rio: Primeiras Poses — Visões da Cidade a Partir da Chegada da Fotografia (1840-1930)


rio primeiras posesrio primeiras poses

 (/)

Cerca de 450 imagens, registros do Rio entre meados do século XIX e o início do XX, compõem esta imperdível exposição. Há fotografias de pioneiros como Marc Ferrez, Augusto Malta e Georges Leuzinger. Recursos multimídia permitem a ampliação de parte das imagens.

Instituto Moreira Salles. Rua Marquês de São Vicente, 476, Gávea,  3284-7400 e 3206-2500. → Terça a domingo, 11h às 20h. Grátis. Estac. grátis. O espaço estará fechado na quinta (31) e na sexta (1º). Até 28 de fevereiro.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s