Arquiteto Índio da Costa coleciona projetos para a orla do Rio

Sua Marina da Glória ganharia telhado verde e piso de pedras portuguesas para se integrar ao paisagismo de Burle Marx no Aterro do Flamengo

Leveza talvez seja a melhor palavra para definir a arquitetura de Luiz Eduardo Índio da Costa. Ele é o criador dos quiosques que mudaram a paisagem da orla de Copacabana — e, a passos mais lentos do que o programado, se espraiam pelo restante do litoral carioca. Índio da Costa, que celebra 80 anos de vida e cinquenta de carreira em 2018, guarda na gaveta outros projetos para a cidade. Na projeção no alto, sua Marina da Glória ganharia telhado verde e piso de pedras portuguesas para se integrar ao paisagismo de Burle Marx no Aterro do Flamengo. Já na imagem acima, vê-se a concepção do arquiteto para o Museu do Amanhã, no Píer Mauá, enfeitado por uma gigantesca esfera metálica. E aí: você prefere o Índio ou o Calatrava? Cartas para a redação.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Prefiro o Calatrava com sua visão para o futuro.