Clique e assine por apenas 4,90/mês

Quarentena: dez dicas para manter cachorros saudáveis em casa

Em nome do bem-estar dos animais em tempos de isolamento, é necessário manter uma rotina e não esquecer das brincadeiras

Por Marcela Capobianco - Atualizado em 30 abr 2020, 17h52 - Publicado em 29 abr 2020, 19h01

A reclusão recomendada pelos órgãos de saúde mudou a rotina das pessoas e também dos animais de estimação. Os cachorros por sua vez, perceberam que seus passeios foram encurtados ou até mesmo cancelados. O fato de ficar por muito tempo em casa pode abrir margem para o tédio, ansiedade e agitação do animal, o que prejudica o convívio entre bichos e humanos.

Confira dez dicas para deixar os cãezinhos saudáveis durante a quarentena:

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Mantenha a carteira de vacinação em dia. É imprescindível manter a carteira de vacinação e a prevenção contra pulgas e carrapatos em dia, para manter a saúde e o bem-estar do pet e, eventualmente, prevenir a saúde dos pets e humanos em volta. “Esse controle é essencial para manter o sistema imunológico do animal bem e livre de inúmeras doenças”, lembra a veterinária da DogHero (plataforma que conecta quem tem bicho de estimação a uma comunidade de passeadores), Thaís Matos.

Continua após a publicidade

Higienize os potes de água e ração, coleira e brinquedos. Entre os cuidados básicos em época de pandemia da Covid-19, os donos de bichinhos devem sempre lavar os utensílios, brinquedos, caminhas e guias com sabão e água corrente, assim é possível evitar o acúmulo de bactérias que podem prejudicar a saúde do pet. Não é recomendado o uso de álcool em gel na higienização dos utensílios e nem no animal, pois o produto pode gerar uma alergia e até mesmo intoxicar o cão.

Lave as patas com água e sabão após os passeios. A recomendação dos órgãos oficiais é o isolamento social. Mas, caso o cuidador opte pelos passeios com o cãozinho, ele deve sempre limpar as patas e as outras áreas do corpo que estiverem sujas com sabão e água corrente ou lenço umedecido. “O tutor precisa ter atenção para não deixar as áreas úmidas e secar bem. Além disso, todos esses cuidados devem ser mantidos ao longo da vida do animalzinho, pois são básicos para que ele fique sempre saudável e trazendo muita alegria para nossas vidas”, finaliza a veterinária da DogHero.

+ Em um ano, número de border collies dobra no Rio

Aproveite o momento para ficar tempo com o pet. Com a mudança na rotina, os pets também podem ficar estressados ao passar muito tempo em casa, principalmente os que têm uma rotina de passeios ou de brincadeiras ao ar livre. Uma maneira de reduzir esse impacto na rotina dos pets é investir em brincadeiras, formas de entretenimento e dar um pouco mais de atenção a eles, de maneira que se sintam seguros e confortáveis e aproveitem ao máximo esse momento em que o convívio com os donos aumentou.

Continua após a publicidade

Invista em brincadeiras para momentos de diversão. O momento pode ser oportuno para aumentar a relação entre o pet e seu tutor. Para aliviar a ansiedade e estresse, os donos de cães podem pensar em brincadeiras caseiras como: jogar a bolinha, pois estimula os instintos do pet e aproxima o tutor dele, pula-pula, uma ótima opção para exercitar o cão, cabo de guerra com corda, deixando cão vencer de vez em quando, e esconde-esconde, para aguçar a curiosidade do pet e estimular o olfato deles. Outra opção para os tutores é incentivar o uso de brinquedos inteligentes ou “recheáveis”, em que é possível colocar um alimento ou petisco dentro de uma garrafa de plástico. O animal poderá passar horas tentando “caçar” a comida.

Cuidado com a quantidade de banhos. Com a orientação da OMS para a população ficar em casa, os banhos dos cãezinhos em pet shops podem ser adiados. Assim, muito pais e mães de pets ficam na dúvida sobre qual a melhor forma de dar banho no cão. “O ideal é escolher um bom horário, um lugar seguro para evitar acidentes, ter por perto todos os produtos necessários para a higiene, proteger as orelhas do cãozinho e secá-lo bem”, alerta a veterinária. Ainda, nesta época, o tutor não deve exagerar na quantidade dos banhos.

+ Gatos conquistam mercado pet com serviços exclusivos

Mantenha uma alimentação saudável para o cão. A alimentação do cãozinho merece uma atenção especial. Principalmente nos dias quentes, os tutores podem congelar petiscos e pedaços de frutas em formas de gelo ou em outros recipientes. A hora do almoço vira também hora de diversão. Aposte em frutas benéficas para os cães como morango, banana, melão e melancia. Em caso de dúvidas, consulte o veterinário.

Continua após a publicidade

Limpe o xixi da maneira correta. Com a mudança na rotina, os cachorrinhos podem desenvolver o hábito de fazer xixi em locais inapropriados, principalmente os cachorros que costumam urinar durante os passeios pelo bairro. O jeito é respirar fundo, manter a calma e limpar o mais rápido possível. Mais do que isso, é preciso empenho para eliminar o cheiro. Se o animal fizer xixi em um tapete, por exemplo, a melhor forma de limpar é cobrindo a mancha com papel toalha, para que a urina seja absorvida. Depois, é preciso lavar a área com água fria. Por fim, basta aplicar bicarbonato de sódio no local e, depois de um tempo, usar o aspirador de pó.

+ Como as petshops encaram a pandemia?

Ensine o cachorro a fazer as necessidades no lugar certo. Isso pode ser um desafio para muitos donos de cães. Porém, não existe limite de idade para ensinar o animalzinho a usar o jornal ou o tapete higiênico. “O tutor deve escolher um cantinho, criar uma rotina, ter paciência e investir em associações positivas”, comenta a especialista da DogHero. Também é importante que os tutores respeitem os horários de passeios e usem a mesma rotina para colocar o animal no cantinho indicado e, assim que ele fizer as necessidades, parabenize com um carinho um petisco. Já aqueles que estão acostumados com textura da grama ou da rua, a dica é escolher uma grama sintética para o pet fazer as necessidades. A regra geral é: nunca esfregue o focinho do cão no xixi ou cocô, pois não são atitudes educativas e sim repreensões, que acabam agravando o quadro.

Aprenda a lidar com o latido do cão. É importante ressaltar que o latido é uma característica inerente aos cachorros. Não é recomendável gritar com o animal. Elevar o tom de voz pode ser interpretado como uma ameaça e, assim, o cãozinho se sentirá mais estressado e ansioso, o que pode fazê-lo latir mais ainda. Um solução é acalmá-lo e distraí-lo utilizando os recursos que tem em casa. Brincadeiras e carinho são bem-vindos.

Publicidade