Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Covid-19: Fiocruz entrega 500 000 doses de vacina produzidas no Rio

Mais 580 000 serão disponibilizadas até sexta (19) totalizando um lote com cerca de 1 milhão. Está prevista a entrega de 3,8 milhões ao todo em março

Por Agência Brasil Atualizado em 18 mar 2021, 11h57 - Publicado em 18 mar 2021, 11h47

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) entregou nesta quarta (17) ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) um lote de 500 000 doses da vacina Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19, fabricadas em Bio-Manguinhos, no Rio. O lote foi produzido a partir do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) importado.

+Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Mais 580 000 doses serão disponibilizadas até sexta (19) totalizando um lote com cerca de 1 milhão de vacinas produzidas no Brasil.

Em março, segundo a Fiocruz, serão entregues 3,8 milhões de doses. Na última sexta (12), uma segunda linha de produção entrou em operação, o que vai permitir o aumento da capacidade produtiva de Bio-Manguinhos/Fiocruz. A expectativa é chegar até o fim do mês com uma produção de cerca de um milhão de doses por dia.

+ Por conta da Covid, estado do Rio teve maior número de mortes em fevereiro

Continua após a publicidade

Segundo a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, a partir de abril, serão produzidas mais de 20 milhões de doses mensalmente. “Uma pandemia só pode ser superada com o esforço conjunto do governo e da sociedade civil. A ciência, a tecnologia e a inovação, que são os pilares da nossa instituição ao lado do papel do Sistema Único de Saúde (SUS) para quem destinamos a entrega de vacinas, é que neste momento podem contribuir para o principal objetivo das vacinas nesta pandemia, que é salvar vidas”, disse.

+ Covid-19: calendário de vacinação é retomado no Rio

O diretor de Bio-Manguinhos, Mauricio Zuma, afirmou que estão previstas entregas semanais em torno de 6 milhões de doses a partir de abril. “A gente deve seguir nesse ritmo até concluir os 100,4 milhões de doses previstas no contrato de encomenda tecnológica com a AstraZeneca. A expectativa é que as últimas doses deste contrato sejam entregues até julho deste ano”.

Com o registro definitivo, concedido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) na última sexta (12), a Fiocruz passou a ser a detentora do primeiro registro de uma vacina contra Covid-19 produzida no país.

+ Covid: medidas restritivas no estado do Rio são prorrogadas por uma semana

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e o médico Marcelo Queiroga, indicado para assumir a pasta, participaram da cerimônia de entrega das vacinas na Fiocruz, nesta quarta (17), no Rio.

Continua após a publicidade
Publicidade