Barbearias “gourmet” se expandem e veem faturamento crescer

Estabelecimentos chegam a atender 2 500 marmanjos por mês e faturam até 100 000 reais

Junte cadeiras com assento de couro e uma prateleira cheia de produtos para barba. Acrescente ao ambiente uma boa carta de cervejas, uma mesa de sinuca ou um fliperama e decore com quadros de carros antigos e pin-ups. Para finalizar, recheie tudo com profissionais jovens com visual descolado. E, claro, não se esqueça do rádio tocando rock and roll. Nos últimos anos, essa receita inspirou o surgimento de diversas barbearias jocosamente apelidadas de “gourmets” na cidade, numa referência ao adjetivo atribuído a tudo o que é visto como sofisticado no universo culinário. O que quase ninguém conhece são as pequenas fortunas que esses negócios movimentam. Hoje, as melhores casas do ramo atendem, em média, por loja, 2 500 marmanjos por mês, e alcançam faturamento de até 100 000 reais. É o caso da Barbearia do Zé, uma das marcas mais conhecidas no Rio, que inaugurou a primeira unidade em maio de 2015 no Centro Cultural Imperator, no Méier. Dois meses depois, os donos já recebiam propostas para abrir filiais. Atualmente, as cinco lojas da rede empregam oitenta barbeiros e oferecem camisas da Reserva, cortes nobres de carne e outros itens indispensáveis ao janota contemporâneo. Ainda neste ano, a turma que empunha as tesouras vestida de gravata e suspensório terá mais duas lojas, em Vista Alegre e na Avenida Olegário Maciel, na Barra, e prevê chegar a um faturamento de 10 milhões de reais ainda em 2017.

O universo das barbearias superproduzidas é um fenômeno em plena expansão e se desdobra em frentes múltiplas. Criada em 2015, a The Boss tem dois pontos no Centro e ganhou, em outubro de 2016, um terceiro, na Barra, com dois andares e 260 metros quadrados de área de lazer. Ali, os cabeleireiros dividem espaço com um bar, um estúdio de tatuagem e outras atrações que rendem 80 000 reais por mês. “Recebo muitas esposas de clientes na parte do spa”, revela Mônica Melissa, que cuida do centro de estética do local. O cantor Mumuzinho, o ex-técnico do Vasco Milton Mendes e o deputado estadual Thiago Pampolha fazem parte da eclética clientela da rede. Já no bairro do Flamengo, dois sócios investiram recentemente 2 milhões de reais para transformar um prédio de três andares em um complexo de serviços para barba, bigode e muito mais. Ali funciona desde julho a barbearia Retrô L’Equip, que já recebeu despedidas de solteiro e transmite lutas e jogos da Liga dos Campeões. O corte da barba sai a 40 reais; o do cabelo, 60 reais. Cinco funcionários revezam-se no atendimento aos fregueses, mas não têm dado conta. “Precisamos de mais gente para ontem”, revela Maykon Stael, responsável pelo estabelecimento.

As barbearias consolidaram-se no imaginário popular como locais associados a elegância masculina. Apontada pelo Guinness como a mais antiga do mundo, a londrina Truefitt & Hill é um exemplo. Fundada em 1805, atendeu nove reis e celebridades como o cantor Frank Sinatra e o ator Fred Astaire. No Brasil, a arte trazida no século XVIII vive dias de glória. Um estudo da Euromonitor International prevê que, até 2019, o país se tornará o maior mercado de beleza masculina do mundo, movimentando mais de 20 bilhões de reais anuais. Entretanto, surfar essa onda de prosperidade envolve desafios, como enfrentar a crescente concorrência. “Só na Tijuca, já vi sete lojas quebrarem nos últimos dois anos”, afirma Thiago Reis, um dos criadores da Barbearia do Zé. Outro problema é cativar e manter as estrelas da tesoura, como Everson Perninha, um dos funcionários de Reis e que já cortou o cabelo de Neymar, Nego do Borel e outras celebridades. Morador do Morro do Andaraí, ele tem agenda apertadíssima e já avisou à chefia que em 2018 nem adianta contar com ele, pois estará em turnê por França, Itália e Portugal exibindo seu talento em outros campos

Barbearia do Zé

 (Felipe Luz/Divulgação)

No Dia do Noivo oferecido pela rede, marido e padrinhos fazem barba, cabelo e bigode enquanto bebem chope e cervejas artesanais acompanhados de petiscos. Entre os barbeiros mais requisitados está Everson Perninha (foto), que já cortou o cabelo do craque Neymar e do cantor Nego do Borel. Onde fica: Botafogo, Copacabana, Ilha do Governador, Méier e Tijuca.

The Boss

Ideal para curar as dores causadas pelo futebol, a massagem relaxante desportiva é uma das atrações do spa da unidade da Zona Oeste. O endereço, comandado pelos sócios Edson Mesquita e Bruno Santos (foto), ainda dispõe de estúdio de tatuagem, fliperama e bar. Onde fica: Avenida Rio Branco, Rua Rodrigo Silva (Centro) e Barra.

Retrô L’Equip

 (Priscila Rabello/Divulgação)

Aberto em julho, o salão tem entre os carros-chefe a camuflagem capilar, procedimento para disfarçar a calvície por meio de maquiagem temporária. No local, há transmissão de lutas e jogos esportivos, carta com 42 cervejas artesanais e uma mesa de sinuca. Onde fica: Rua Marquês de Paraná, 10, Flamengo.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s