Braço direito do Claude, Batista elege a melhor quentinha

Das ruas da Glória à Barra da Tijuca, o chef João Batista avaliou as marmitas vendidas pelos ambulantes

Com o agravamento da crise econômica e 1,3 milhão de desempregados no Estado do Rio segundo o IBGE, um fenômeno pode ser notado nas ruas da cidade: da Zona Norte à Zona Sul, em carros, motos ou bicicletas, é possível encontrar vendedores ambulantes de quentinhas. A atividade une os dois lados da recessão, os profissionais desocupados que buscam uma nova forma de sustento e aqueles que procuram uma alternativa mais barata para almoçar na rua. Em geral, o valor médio das marmitas é de 12 reais, muitas vezes com a bebida incluída. Com tantas opções de lugar e cardápio, o chef paraibano João Batista, braço-direito e fiel escudeiro do francês Claude Troisgros há trinta anos, saiu às ruas para avaliar, a convite de VEJA RIO, o que de melhor está sendo servido. “Quando me mudei para cá, não tinha fogão em casa e comprava direto essas marmitas. Hoje, as pessoas estão investindo na qualidade, há muitas opções boas de comida caseira”, comenta. Da Glória à Barra da Tijuca, o cozinheiro avaliou três quesitos: o sabor, a proporção (se não havia muito macarrão para pouca carne, por exemplo) e a criatividade.

 (Felipe Fittipaldi/Veja Rio)

A grande vencedora, com nota 10 em todos os itens, foi a rabada com batata e agrião do Só Sabor, vendida a 13 reais numa van que marca ponto de segunda a sexta nos fundos do shopping Barra Garden. Há cerca de nove meses Josilene Oliveira e Cristiano Soares estacionam ali com quatro ou cinco opções de quentinha, algumas delas com dia marcado. Na quarta, por exemplo, está à venda o prato campeão. Já na quinta é possível encontrar dobradinha, e na sexta, feijoada. “A rabada estava muito saborosa, a farofa crocante, e tudo bem arrumadinho na embalagem, sem muita bagunça. Parece até coisa de profissional”, elogiou Batista. Duas receitas ficaram empatadas no segundo lugar. Uma delas foi o lombo de porco com salada de batata e farofa do Claudio, que há 25 anos vende salgadinhos na Praça Nicarágua, em Botafogo, e ampliou os negócios recentemente. Já perto do shopping Fashion Mall, em São Conrado, a tradicional dobradinha com feijão-branco e linguiça da Claudia, que chega a servir até 150 refeições todo dia, incluindo opções fit, também ganhou estrelinhas do Batista.

Josilene Oliveira e Cristiano Soares na van da Só Sabor (Felipe Fittipaldi/Veja Rio)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Christiano Carvalho

    meu nome e Cristiano Carvalho nao e soares..