Imagem Blog

Otavio Furtado

Por Otavio Furtado, jornalista e consultor de diversidade & inclusão
Continua após publicidade

Turismo Susentável: Parques Nacionais ainda são pouco conhecidos

Apesar do aumento no número de visitas no último ano, barreiras ainda impedem que o turismo ecológico atinja o seu potencial

Por otavio_furtado Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
10 Maio 2024, 17h05

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Semeia, com apoio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBIo) e do Instituto Ekos Brasil, revelou que apesar do aumento de 44% das visitas realizadas em parques nacionais brasileiros em relação ao ano anterior, o ecoturismo ainda está longe de ter números conforme todo potencial do segmento no Brasil.

“Os Parques Nacionais têm apresentando um aumento real de visitas a cada ano, apesar de ainda aquém do que vislumbramos. Esta pesquisa colabora com o aprimoramento de políticas públicas de visitação, diagnosticando frentes que devemos dar maior atenção”, comenta Carla Guaitanele, Coordenadora Geral de Uso Público e Serviços Ambientais do Instituto Chico Mendes.

O desconhecimento dos parques é um dos primeiros desafios a ser suplantado para mudar esse cenário. Para se ter ideia apesar de todas as regiões alcanças pela pesquisa possuírem parques urbanos, 20% dos entrevistados não conhecem nenhum espaço como esse. Para Mariana Haddad, coordenadora de Conhecimento do Instituto Semeia, este cenário expressa o desafio de impulsionar a visitação nos parques brasileiros. A especialista aponta ainda que estes espaços urbanos tem o maior potencial em ajudar a modificar o panorama.

“Estes espaços (parques urbanos) têm grande potencial de lazer e recreação em meio à natureza, pois estão em áreas de mais fácil acesso quando comparados aos parques naturais, e são gratuitos. A visitação amplia a conscientização e o reconhecimento a importância dos parques”, analisa.

Continua após a publicidade

Entre as principais barreiras apontadas pelo levantamento para visitação dos parques se destacam a distância e custos. Sobre os parques urbanos a primeira foi apontada por 30% dos entrevistados, enquanto a segunda por 13%. Já em relação aos parques naturais, o custo com descolamento foi a barreira mais sinalizada pelos respondentes que nunca visitaram uma unidade (42%), seguida por custo com hospedagem (31%), e distância (20%). A desinformação é outro desafio em relação aos Parques Naturais, segundo 13% dos entrevistados.

Apesar de 79% concordarem que o turismo traz benefícios econômicos e sociais para os parques e seus entornos, mais da metade (52%) acredita que o governo tem questões mais prioritárias para direcionar o dinheiro público. A solução passa então pelo modelo de concessões/parceria, com 49% dos entrevistados favoráveis ao sistema nos parques naturais e 54% nos parques urbanos.

Os organizadores esperam que com esses e outros dados levantados pela pesquisa (que pode ser baixa na íntegra pelo link) os diversos agentes envolvidos com a pauta consigam implementar e monitorar políticas públicas associadas ao cumprimento da missão dos parques de conservar a biodiversidade brasileira.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.