Imagem Blog

Otavio Furtado

Por Otavio Furtado, jornalista e consultor de diversidade & inclusão
Continua após publicidade

No Lollapalooza, Sam Smith dá aula sobre queer

Artista não-binário foi uma das atrações do último dia do festival

Por otavio_furtado Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
25 mar 2024, 13h00

Uma das letras da sigla LGBTQIA+ que causa mais dificuldade de compreensão teve ontem uma aula para quem ainda não sabe o que significa o Q de Queer. Foi no show de Sam Smith no Lollapalooza, onde o artista não-binário conseguiu em suas falas, cenografia e figurino exemplificar com maestria o significado.

Queer é um termo em inglês que significa “estranho”, mas que foi ressignificado pela comunidade. Ele se refere as pessoas cuja identidade de gênero ou sexualidade não corresponde as ideias estabelecidas pelo binarismo social, especialmente as normas heteronormativas. Uma pessoa queer não se identifica com os padrões impostos pela sociedade e transita entre os gêneros.

Logo no início do show, em uma de suas falas Sam Smith disse que a apresentação era um grito de liberdade para que as pessoas possam fazer o que querem e ser como são. Exemplificando que elas podem se vestir como quiserem e ser quem são, em clara alusão a quebra de padrão heteronormativo, o artista deixava claro que o show era uma ode ao mundo queer.

Na cenografia, com destaque para uma gigante escultura de uma pessoa deitada, frases de impacto grifadas também ajudavam a esclarecer o que significa a letra “Q” e traziam palavras de ordens a favor dos direitos das pessoas da comunidade LGBTQIA+. “Inverta o Olhar”, “Autonomia” e “Nós lutamos juntos” foram alguns exemplos.

Continua após a publicidade

Por fim, o figurino talvez seja a forma mais didática que Sam usou para explicar o queerismo. Seu não-binarismo estava presente nas constantes trocas de roupas. De um conjunto de alfataria que abriu o show, passando por um vestido preto de gala, até chegar ao visual final com direito a cinta-liga e lingerie, as vestimentas expressavam a liberdade de Sam ser quem ele é, sem seguir os padrões impostos pela sociedade.

O show de Sam Smith no Lollapalooza, após um hiato de cinco anos da última apresentação no Brasil, emocionou e empolgou o público que acompanhou um set-list impécavel recheado de hits. Se fosse apenas isso já teria sido um dos melhores do festival, mas se tornou ainda mais gigante pela mensagem transmitida.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.