Imagem Blog

Otavio Furtado

Por Otavio Furtado, jornalista e consultor de diversidade & inclusão
Continua após publicidade

Brasileiro do pit crew de RuPaul fala sobre assédio do público

Em entrevista exclusiva Bruno Alcantara fala sobre exposição do corpo no programa e assédio dos fãs

Por otavio_furtado Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
8 jan 2024, 15h21

Bruno Alcantara, brasileiro do pit crew de RuPaul nasceu em Ilhéus (BA) e hoje é conhecido no mundo inteiro graças ao reality show ganhador do Emmy. Quem o vê desenvolto apenas de sunga não imagina que quase não aceitou o convite para o programa justamente por ter que aparecer assim.

Em entrevista exclusiva para coluna o baiano nos contou como chegou até RuPaul, de sua experiência ao lado de outros ícones mundiais – Madonna e Eltom John – e da sua relação e assédio dos fãs, especialmente o público brasileiro.

O caminho até se tornar conhecido foi longo. Bruno se mudou para a capital baiana para fazer faculdade. O mundo dos famosos e do glamour começou a entrar em sua vida só após isso, quando morou em São Paulo para trabalhar com Paulo Borges na produção das semanas de moda de São Paulo e Rio. O que ele na época não fazia ideia é que se tornaria famoso e tudo graças a um desejo antigo.

“Minha mãe me conta que pequeno falava pra ela que precisava aprender inglês porque queria conhecer o mundo”, lembra Bruno. E foi justamente a necessidade de aprender o idioma que o levou para os Estados Unidos. A ideia era ficar três meses para estudar, mas já vai completar já 10 anos em Los Angeles.

Bruno Alcantara é brasileiro do Pit Crew de RuPaul's Drag Race
Baiano foi para Los Angeles estudar inglês e acabou ficando por lá (Arquivo Pessoal/Arquivo pessoal)

Quem acha que RuPaul foi a primeira estrela internacional que Alcantara trabalhou se engana. Antes teve a oportunidade de trabalhar com Madonna, como coordenador de camarim da turnê Rebel Heart. Foi ali que um colega de trabalho o conectou com os produtores de Drag Race, mas antes de estrear no reality ele teve outro grande teste.

Continua após a publicidade

“Sempre me perguntam como foi o teste pra entrar em RuPaul’s Drag Race. Na verdade acho que foi quando os produtores me levaram para gravar o clipe de The Bithc is Bak do Elton John. Ali eles observaram meu comportamento num set”, lembra.

Bruno Alcantara com Madonna na época que trabalhou com a artista
Antes de fazer parte de RuPaul’s Drag Race, Bruno trabalhou com Madonna (Arquivo Pessoal/Arquivo pessoal)

Depois disso veio o convite para entrar em RuPaul’s Drag Race. Mas por pouco a gente não teria o conhecido através do reality. É que ele pensou bastante antes de aceitar participar: “Quando me ligaram eu pensei se queria estar de sunga em um show na TV. Conversei com alguns amigos antes de decidir porque fiquei inseguro”.

Para nossa sorte aceitou e se tornou o brasileiro do pit crew de RuPaul. Ele nos contou que agora lida melhor com a exposição do corpo. “Eu sou da Bahia, nasci na praia praticamente. Fui feito pra isso”, brinca. Ainda o fato de sempre ter gostado de cuidar do corpo também ajudou, já que o shape exposto acaba sendo resultado da sua rotina.

Apesar de não estar desde a estreia do programa a ascensão foi meteórica e não demorou muito para Bruno fazer sucesso. Tanto que foi o único integrante do Pit Crew a participar da bancada de jurados em um episódio. Sobe o destaque o brasileiro acredita que seja resultado do seu jeito de ser: “O que eu faço no show não tem muito como tentar chamar mais atenção pra mim. Acho que é resultado da energia natural minha, o sorriso”.

Continua após a publicidade

Junto com a maior exposição começou a lidar com o assédio do público, mas Bruno conta que ainda estranha de alguma forma. “É engraçado que sempre gostei de atenção, mas não me vejo da maneira que as pessoas me vêem”, explica exemplificando que já foi surpreendido em alguns lugares ao perceber que pessoas vieram falar com ele.

Ele ressalta que por ser gay sabe que como frequenta ambientes voltados para esse público o assédio acaba sendo maior. Bruno diz que adora o carinho e gosta de abraçar as pessoas, mas revela que algumas passam dos limites: “Não gosto quanto já chegam passando a mão. Acho isso invasivo e a gente precisa respeitar as pessoas”.

Bruno Alcantara na final de Drag Race Brasil
Bruno fez participação no episódio final de Drag Race Brasil (Arquivo Pessoal/Arquivo pessoal)

O baiano acredita que porque muitas pessoas o conhecem apenas pela TV acabam tendo uma visão limitada a seu respeito. “Não sou só aquele Bruno de sunga e corpo de fora. Isso é uma parte de mim, obviamente. Se a pessoa só me enxerga assim eu respeito. Estou num trabalho que coloca nessa posição. Mas tem muito mais do que isso”, afirma.

Por fim, Bruno ressalta que a ligação com os fãs brasileiros é especial. Inclusive demonstrou desejo de fazer mais trabalhos no Brasil. Pensando em campanhas publicitárias, participação em eventos, revela também querer fazer algo para TV ou cinema atuando. Ele participou recentemente da primeira temporada de Drag Race Brasil e celebrou o fato de fazer parte desse momento tão importante. “Foi incrível. Sempre falo do quanto tenho orgulho de ser brasileiro. Quando soube que teria a franquia falei que tinha que participar de alguma maneira”, finalizou.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.