Imagem Blog

Julia Golldenzon Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO

Por Julia Golldenzon, estilista carioca
Continua após publicidade

Reage, bota um cropped

Parte de cima curtinha foi lançada no início dos anos 2000 e traduz hoje a cultura da autoaceitação e do amor próprio

Por Julia Golldenzon Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 17 fev 2022, 13h31 - Publicado em 17 fev 2022, 13h27

Virar meme hoje pode ser considerado o auge do sucesso. E foi assim que uma peça de roupa virou o bordão de 2022 depois de viralizar nas redes sociais. Em janeiro, circulou na internet o vídeo de uma jovem incentivando a irmã a partir pra outra após de levar um bolo de um rapaz. “Reage, mulher, bota um cropped”, disse a caçula. Bastou para a frase e a peça caírem na boca do povo.

Cropped é o nome bacana dado hoje para o top, a miniblusa, o bustiê, a camiseta curtinha. Como a moda vive de novidades, todas estas peças que já tinham nome passaram a ser chamadas de cropped. Foi no início dos anos 2000 que o termo começou a ser citado no Brasil pelos estilistas das semanas de moda do Rio e de São Paulo, que lançavam nas passarelas a modelagem cropped, que deixava parte da barriga à mostra. Demorou quase uma década para o termo pegar de vez, e hoje, depois do vídeo que viralizou, o significado foi ampliado.

Vestir um cropped agora quer dizer muito nas entrelinhas. Além de um look, há também uma dose de autoconfiança e autoestima. Se no início dos anos 2000, só vestia uma blusa curta quem tinha a barriga sequinha, como Kate Moss e Gisele Bündchen, hoje a peça é democrática. Veste todos os manequins, com ou sem barriga negativa, e todas as idades, sendo para adolescentes e também para mulheres de mais de 50 anos. O que varia é o styling, ou seja, combinar a peça com cintura alta ou cintura baixa.

Acabaram as regras! Démodé é dizer se um tipo de roupa é “certo” ou “errado”. Você decide o que lhe cai bem. Foi-se o tempo em que uma capa de revista ditava o que devemos vestir. E a conquista desta democratização do cropped e da moda sofreu grande influência das redes sociais e da multiplicação de vozes e influenciadoras.

Continua após a publicidade

Portanto, diria que o cropped hoje é uma espécie de tradução da autoaceitação. Está exausta? Bota um cropped. Está chateada com alguém? Bota um cropped. Perdeu as esperanças no ser humano? Bota um cropped. O cropped tem mais a ver com você do que com o mundo. É se sentir bem no próprio corpo. É uma boa dose do melhor estilo que devemos vestir: o amor próprio. Então, querida leitora, reage!, e bota um cropped!

 

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.