Imagem Blog

Gilberto Ururahy

Por Gilberto Ururahy, médico Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Especialista em medicina preventiva
Continua após publicidade

Álcool a bordo: as implicações de consumir bebida alcoólica em aviões

É preciso ter cautela antes de consumir bebida alcoólica em voos, entenda o porquê

Por Gilberto Ururahy Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
2 jul 2024, 10h07

Viajar de avião pode ser uma experiência prazerosa para alguns, mas certamente também é um fator de estresse e ansiedade para muitas pessoas. Um recurso bastante comum que os passageiros apelam em busca de calma são as bebidas alcoólicas durante o voo. No entanto, é preciso conhecer algumas implicações desta escolha.

Um estudo publicado nos Estados Unidos recentemente, e compartilhado com o público no jornal The New York Times, indica alguns riscos associados ao consumo de álcool em aviões, especialmente em voos de longa duração, em que há previsão de horas de sono a bordo. À medida que um avião sobe, o nível de oxigênio na cabine cai, e isso faz com que o nível de oxigênio no sangue diminua. Beber álcool pode aumentar a frequência cardíaca e já está demonstrado que reduz os níveis de oxigênio no sangue durante o sono.

O novo estudo, encabeçado pelo Instituto de Medicina Aeroespacial de Colônia, na Alemanha, foi o primeiro a examinar os efeitos combinados da altitude e do álcool. Para isso, os pesquisadores recrutaram 48 adultos saudáveis ​​com idades entre 18 e 40 anos. Metade concluiu o estudo em um laboratório do sono com pressão atmosférica normal. A outra metade dormia em beliches numa câmara de altitude com pressão de ar que simulava a de um avião.

Os participantes de ambos os grupos dormiram da meia-noite às 4 da manhã durante duas noites, uma sóbria e outra depois de beber quase 120 ml de vodca, uma quantidade de álcool semelhante à encontrada em duas cervejas ou taças de vinho. Eles usavam dispositivos para medir frequência cardíaca, estágios do sono e os níveis de oxigênio no sangue (o normal é acima de 95% em pessoas saudáveis).

Os participantes que dormiam com pressão atmosférica normal tinham um nível médio de oxigênio no sangue de 96% na noite sóbria e 95% na noite em que haviam consumido álcool. Mas para aqueles que dormiam na câmara de altitude, os níveis de oxigênio eram de 88% quando sóbrios e de 85% depois de beber.

Continua após a publicidade

Quanto à frequência cardíaca, a média durante o sono com pressão atmosférica normal aumentou de 64 batimentos por minuto quando sóbrio para 77 após beber; e em altitude, de 73 batimentos por minuto quando sóbrio para 88 depois de beber. Níveis mais baixos de oxigênio no sangue e aumento da frequência cardíaca são evidências de tensão no sistema cardiovascular, uma vez que o coração trabalha mais para compensar a queda no oxigênio.

Esse tipo de estresse cardíaco pode deixá-lo um pouco cansado, entre as pessoas jovens. No entanto, entre os que tem alguma condição cardíaca ou respiratória, como insuficiência cardíaca, doença pulmonar obstrutiva crônica ou apneia do sono, isso pode causar tonturas e falta de ar. Beber potencializa as chances de precisar recorrer a uma emergência médica durante o voo, por exemplo. O álcool também desidrata, o que pode aumentar ligeiramente o risco de desenvolver um coágulo sanguíneo nas pernas ou nos pulmões.

Como o álcool tem capacidade sedativa, se for consumido perto da hora de dormir, pode fazer pegar no sono mais rápido. No estudo alemão, quem dormia na câmara de altitude demorava, em média, 19 minutos para adormecer quando sóbrio e 12,5 minutos depois de beber.

Mas à medida que o corpo digere o álcool, a qualidade do sono piora e despertar com mais frequência torna-se mais fácil, ou seja, o efeito oposto do desejado, além de se sentir mais cansado no dia seguinte. No estudo, os participantes que dormiam na câmara de altitude passaram menos tempo em sono profundo e REM do que aqueles que dormiam com pressão atmosférica normal. O álcool comprometeu ainda mais o sono: eles acordaram com mais frequência e, em comparação com 22 minutos de sono REM quando sóbrios, registraram 14,5 minutos depois de beber. O álcool também pode relaxar os músculos ao redor das vias aéreas superiores, causando ronco – e para aqueles com apneia do sono, piora dos sintomas.

Continua após a publicidade

No seu próximo voo, lembre-se de que é melhor evitar álcool antes ou durante um voo, especialmente se tiver problemas cardíacos, pulmonares ou apneia do sono. Se não tem uma dessas condições, uma bebida provavelmente não trará problema. Mas observe como se sente depois: se dorme mal durante o voo e acorda com dor de cabeça, talvez seja melhor se abster do álcool na próxima viagem.

Prefira outras maneiras de relaxar, ainda que elas não levem ao sono, como ouvir música ou podcast, ler ou assistir a filmes. Levar um travesseiro de viagem, uma máscara para os olhos e usar protetores de ouvido também podem ser boas alternativas.

Saúde é prevenção.

Gilberto Ururahy é médico há mais de 40 anos, com longa atuação em Medicina Preventiva. Em 1990, criou a Med Rio Check-up, líder brasileira em check-up médico. É detentor da Medalha da Academia Nacional de Medicina da França e autor de quatro livros: Como se tornar um bom estressado (editora Salamandra), O cérebro emocional (editora Rocco), Emoções e saúde (editora Rocco) e Saúde é Prevenção (editora Rocco), com o médico Galileu Assis, diretor da Med Rio Check-Up.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.