Imagem Blog

Dudu Netto

Por Dudu Netto, educador físico, mestre em motricidade humana e diretor técnico do grupo Bodytech
Saúde
Continua após publicidade

Avanço acelerado do sobrepeso e obesidade infantil no Brasil

Até 2025, número de jovens afetados pelo sobrepeso e obesidade pode atingir 75 milhões.

Por Dudu Netto
Atualizado em 26 mar 2024, 12h28 - Publicado em 26 mar 2024, 12h20

Os dados são alarmantes: aproximadamente 33% das crianças entre 5 e 9 anos apresentam excesso de peso. A mistura de jogos eletrônicos, inatividade física e dietas inadequadas está gerando uma geração marcada pela obesidade, suscetível a doenças antes restritas aos adultos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) projeta que até 2025, o número de jovens afetados pelo sobrepeso e obesidade pode atingir 75 milhões.

A equação de sedentarismo somada a escolhas alimentares precárias configura-se como uma ameaça significativa à saúde. Frequentemente, os responsáveis pelas crianças contribuem involuntariamente para o problema, recorrendo a alternativas alimentares rápidas e menos saudáveis por questões de conveniência.

A obesidade é mais do que um problema de peso; ela reconfigura o funcionamento orgânico e predispõe a juventude a uma série de desordens antes raras nessa faixa etária, incluindo, mas não se limitando a, hipertensão, alterações no perfil lipídico, diabetes tipo 2, além de transtornos psicológicos como depressão e ansiedade.

No combate à obesidade infantil, a prática regular de atividades físicas surge como um pilar fundamental. Desde a mais tenra idade, é crucial incentivar a criança a explorar e se engajar em diversas modalidades esportivas, descobrindo aquelas que mais lhe agradam e motivam a manter uma rotina ativa. A inserção no universo esportivo não deve ser percebida como uma obrigação, mas sim como uma fonte de prazer e desenvolvimento pessoal. A adoção de um estilo de vida ativo deve começar em casa, com os pais servindo como modelos de comportamento, integrando práticas de exercícios nas atividades cotidianas familiares.

Paralelamente, é imperativo abordar a questão da alimentação. O cenário atual, dominado por alimentos ultraprocessados e de rápida preparação, demanda uma reeducação alimentar, enfatizando a importância de alimentos in natura e o papel dos pais na seleção consciente das refeições familiares. Ë de extrema importância  promover a conscientização sobre os benefícios de uma alimentação equilibrada, utilizando abordagens lúdicas para engajar não só as crianças mas também seus cuidadores nesse processo de aprendizado.

Continua após a publicidade

A abordagem para reverter o quadro de obesidade infantil deve ser holística, contemplando não apenas o físico, mas também o aspecto emocional e psicológico das crianças. É um desafio que requer a participação ativa e consciente dos pais, que devem promover e praticar hábitos saudáveis, estabelecendo uma base sólida para o bem-estar de seus filhos. Através da combinação de uma nutrição balanceada, o estímulo à prática regular de exercícios físicos e a educação para a saúde, podemos aspirar a reverter essa tendência preocupante e garantir um futuro mais saudável para as próximas gerações.

Adotando algumas medidas de forma integrada e consistente, é possível criar um ambiente propício à prevenção da obesidade infantil e promover um futuro mais saudável para as crianças no Brasil.  Sendo fundamental adotar uma abordagem multifacetada que envolva família, escola e comunidade. Aqui estão cinco dicas principais:

1-Alimentação Saudável: incentive o consumo de alimentos naturais, como frutas, legumes e verduras, e reduza o de produtos ultraprocessados.}

2-Atividade Física: estimule brincadeiras ao ar livre e práticas esportivas, limitando o tempo gasto com dispositivos eletrônicos.

Continua após a publicidade

3-Educação Nutricional: implemente programas nas escolas que ensinem nutrição saudável e promovam refeições balanceadas.

4Ambientes Favoráveis: garanta acesso a espaços seguros para brincar e promova políticas que reduzam a publicidade de junk food.

5- Apoio Emocional: ofereça suporte para questões emocionais relacionadas à alimentação e promova uma imagem corporal positiva.

Ser um modelo a seguir é crucial: a máxima de que “um exemplo vale por mil palavras” se aplica perfeitamente aqui. Para os pais, o ponto de partida na luta contra a obesidade infantil é se tornarem exemplos vivos de hábitos saudáveis. Isso significa revisar e, se necessário, transformar as próprias escolhas alimentares e a relação com a atividade física. Ao adotarem uma dieta balanceada e se engajarem regularmente em exercícios, os pais não apenas melhoram sua saúde, mas também instilam valores importantes nos filhos, mostrando, na prática, a importância de cuidar do corpo e da mente. Este ato de liderança pelo exemplo é uma das formas mais eficazes de ensinar, pois as crianças tendem a imitar os comportamentos dos adultos que as cercam, especialmente seus pais. Portanto, adotar um estilo de vida ativo e consciente em relação à alimentação é um passo fundamental para influenciar positivamente os hábitos das crianças desde cedo.

Continua após a publicidade

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.