Thaís Mendes ajuda a financiar curso para jovens carentes

A estudante, de 16 anos, ainda recicla óleo vegetal

Thaís Mendes só tem 16 anos, mas sua força de vontade é de dar inveja a muito marmanjo. Moradora de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, ela cursa o 3o ano do ensino médio na ETE Juscelino Kubitschek (Faetec), no Jardim América, e ainda encontra tempo para ajudar jovens que sonham com uma vida melhor. Ao ingressar na escola técnica, em 2014, logo se engajou nas diversas ações sustentáveis promovidas pela instituição, entre elas o descarte correto de óleo vegetal, usado na cozinha da escola. Não demorou para Thaís ter a ideia de expandir o projeto para as comunidades próximas à Faetec. “O Jardim América é cortado por três rios extremamente poluídos. O óleo é um dos principais poluentes e 1 litro contamina 2 000 litros de água”, explica a estudante.

“É muito importante dar oportunidade aos jovens; é isso que fará o nosso país crescer”

Com o auxílio dos colegas da escola, Thaís passou então a recolher sobras de óleo em restaurantes e bares do bairro, e em lugares que já armazenavam o produto. “A gente também faz uma gincana na escola para coletar ainda mais. Com isso, conseguimos 4 000 litros ao longo do ano passado”, conta, orgulhosa. Mas a iniciativa da garota não parou aí. Os resíduos recolhidos são vendidos a uma empresa recicladora, e a verba arrecadada é usada para financiar um curso preparatório para os jovens carentes que, como ela, sonham em entrar numa escola técnica. O dinheiro paga dois professores, de matemática e português, e os frequentadores, como pagamento, levam 20 litros de óleo por mês — no primeiro ano, as aulas eram de graça. “Eu tiro as dúvidas dos alunos quando eles precisam. É muito importante dar oportunidade a essas pessoas; é isso que fará o nosso país crescer”, opina. Com tamanha consciência social, não é de espantar que a estudante tenha ficado em terceiro lugar no Prêmio Prudential Espírito Comunitário — que  é realizado nos Estados Unidos e contempla alunos entre 14 e 19 anos que fazem ações de voluntariado. “Eu ganhei 3 500 reais para repassar para alguma instituição sem fins lucrativos e uma passagem para Washington, onde acontece o encontro de jovens voluntários de vários países. Vou no início de maio. É a minha primeira viagem internacional. Não sei inglês, estou muito nervosa, mas espero poder falar do projeto lá”, disse a jovem, antes de embarcar.

 + A arquiteta Andrea Carvalho preside uma instituição que dá apoio a famílias de crianças que se tratam no Instituto Fernandes Figueira

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s