ONG carioca luta contra extinção de flores nativas

As espécies Cattleya guttata e Cattleya intermedia sumiram das praias cariocas devido à degradação da restinga

Nativas do litoral das regiões Sudeste e Sul, as coloridas Cattleya guttata (na foto) e Cattleya intermedia sumiram das praias cariocas devido à degradação de seu hábitat, a restinga. Há resquícios de sua presença, porém, na Região dos Lagos, no Parque Estadual da Costa do Sol. Na lista de espécies vulneráveis da flora brasileira, as duas flores inspiraram o projeto Restinga Viva, do Instituto Brasileiro de Biodiversidade, contemplado por edital pela Sociedade de Orquídeas de San Diego, entidade americana de conservação. Com o prêmio, a ONG carioca vai realizar ações de conscientização e de monitoramento.

Veja também

Barbudo rouba a cena em foto de casal no Cristo Redentor

Números indicam adesão dos cariocas às bicicletas compartilhadas

+ Moradores de favelas do Rio recebem título de propriedade

Há cem anos erguia-se o castelo mourisco, na Avenida Brasil

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s