Maria Venina da Conceição Araujo é voluntária do projeto Amigas do Peito

Iniciativa dá apoio a mulheres que tiveram câncer de mama

Em 1975, Maria Venina da Conceição Araujo ingressou, como auxiliar de enfermagem, no Hospital Federal Cardoso Fontes, em Jacarepaguá, onde trabalhou até se aposentar, em 2010. Lá, conheceu o projeto Amigas do Peito, criado há dez anos com o objetivo de apoiar mulheres que tiveram câncer de mama. Prometeu que, assim que tivesse tempo, daria a sua contribuição. E cumpriu a promessa. No ano seguinte à sua aposentadoria, juntou-se ao grupo de voluntárias que tocam o projeto. “Ensino tricô, crochê, reciclagem, fazendo fuxico e florzinhas. É uma espécie de arteterapia”, conta Maria, de 70 anos. “Mas eu não sou a única. Somos um grupo multidisciplinar, com psicóloga, fisioterapeuta, nutricionista e assistente social”, ela faz questão de esclarecer. 

“Muitos maridos deixam a mulher ao saber da doença.  Ela fica sem rumo, em meio a uma doença grave” 

O combinado entre as voluntárias é que se revezem nos encontros que acontecem semanalmente com as pacientes. Maria, no entanto, vai toda semana. “É que as outras ainda trabalham; eu sou a única aposentada. Então toda quarta saio de casa, no Centro, às 6h30 e passo a manhã inteira no hospital”, relata ela, que não vê nisso nenhum sacrifício. “Para mim, é gratificante. Parei de trabalhar, mas não fiquei em casa vendo TV. No grupo, a gente bate papo, descontrai, faz festinhas, passeia, uma dá apoio à outra. É uma rede de solidariedade”, acredita. 

O projeto Amigas do Peito atende cerca de sessenta mulheres, com idade entre 38 e 84 anos, que estão em tratamento. “Há muitas que chegam deprimidas, com problemas financeiros sérios porque o marido as abandonou ao saber do diagnóstico. Elas ficam sem rumo. É uma doença grave e ainda cercada de preconceitos”, ressalta. A história de cada uma delas será mostrada no documentário Amigas do Peito — Rede Afetos no Cuidado, produzido pelo Ministério da Saúde e com previsão de lançamento para até o fim do mês, quando será exibido em hospitais e outros órgãos públicos. 

+ Marcos Palmeira funda ONG que atua em causas ambientais

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s