Livro reúne relíquias cariocas do século XVI

Entre os registros está o Morro do Castelo, onde, a partir de 1567, foram construídos a Igreja de São Sebastião e o Colégio dos Jesuítas, entre outras edificações

O pesquisador Paulo Bastos Cezar e o ilustrador Pedro Van Erven levaram dois anos para levantar as características da cidade no século XVI. E o resultado está no livro Iconografia do Rio de Janeiro à Época da Sua Fundação, que reúne mapas, gravuras e manuscritos do período. Entre os registros está o Morro do Castelo, onde, a partir de 1567, foram construídos a Igreja de São Sebastião e o Colégio dos Jesuítas, entre outras edificações. Ocupado por cortiços no início do século XX, o morro foi considerado um risco à saúde púbica e destruído, entre 1921 e 1924. Em seu lugar surgiram vias, como as avenidas Marechal Câmara e Presidente Antônio Carlos. 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s