Hospital de Bonsucesso pode fechar emergência por não ter pessoal

Espaço recém-inaugurado precisa de 700 pessoas para funcionar, mas há apenas 60

Hospital Federal de Bonsucesso Hospital Federal de Bonsucesso

Hospital Federal de Bonsucesso (REDE GLOBO/Reprodução)

O Hospital Federal de Bonsucesso enviou na última semana uma carta sobre o possível fechamento da nova emergencia da unidade, inaugurada no último dia 28 à Defensoria Pública e ao Ministério da Saúde. O motivo seria a falta de pessoal para trabalhar no local.

De acordo com cálculos da Defensoria Pública, a nova instalação precisa de cerca de 700 profissionais de saúde para operar com capacidade plena. Porém, o hospital conta hoje com apenas 60 pessoas para atuarem na nova emergência, já que o Ministério da Saúde não realiza concursos para incorporar novos enfermeiros e médicos há 8 anos. Em nota, o órgão do Governo Federal afirmou que não há necessidade de novas contratações, uma vez que a criação do novo espaço ainda não está completa.

A Defensoria Pública entrou na Justiça com uma ação que solicita a contratação imediata de mais de 700 profissionais e multa diária de R$ 1 mil ao Ministério da Saúde em caso de descumprimento da medida. Segundo o defensor público da União Daniel Macedo, o ministro Ricardo Barros tem conhecimento da situação e precisa fazer algo. “Ele estava presente na última audiência e está ciente do que está acontecendo nessa emergência”, afirmou.

Confira abaixo nota enviada pelo Ministério da Saúde:

O Ministério da Saúde informa, por meio do Departamento de Gestão Hospitalar (DGH), que coordena os seis hospitais federais no Rio de Janeiro, que a emergência do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB) está funcionando com a mesma capacidade de atendimento que dispunha antes da mudança para as novas instalações, ocorrida em 28 de fevereiro de 2018. Todavia, é importante ressaltar que agora o atendimento ocorre em muito melhores condições de estrutura física e conforto para os pacientes, seus familiares e para a equipe de saúde. O HFB está contratualizando com o município do Rio de Janeiro. Na última semana o município e o HFB definiram quais serviços deverão ser ofertados à central de regulação e como a nova emergência funcionará.

Entre os objetivos do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro encontra-se a reestruturação dos hospitais federais, no que se refere às suas áreas de atuação e especialização. O objetivo é racionalizar a atuação dos hospitais, concentrando recursos, insumos e profissionais de modo a evitar a sobreposição de oferta e permitir a ampliação e melhor qualificação dos serviços prestados à população. O objetivo é aumentar em 20% o atendimento especializado em oncologia, ortopedia e cardiologia realizado nas unidades.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s