Antiga estação de trem abriga fábrica de objetos reciclados

O prédio em Guaratiba, inaugurado junto com o transporte público na região, em 1917, completa 100 anos

 (Arquivo/Agência O Globo)

A “ilha” indicada na tabuleta do bonde era Guaratiba, um dos pontos finais da composição que ligava o bairro litorâneo a Campo Grande. Nesse extremo, a parada ficava em uma simpática estação (no detalhe). O prédio, inaugurado junto com o transporte público na região, em 1917, completa 100 anos: a linha deixou de circular em 1964, mas o terminal resistiu. Hoje, abriga uma diretoria da Comlurb e a fábrica Aleixo Gary, onde a prefeitura, além de produzir vassouras, cestas de lixo e carrinhos coletores, fabrica, com material reciclado, gangorras, balanços, escorregas e fraldários instalados nas praças. Curiosidade: pioneiro empresário na área de limpeza urbana na cidade, atuante no fim do século XIX, antes de o serviço ser estatizado, o francês Aleixo Gary inspirou o nome pelo qual chamamos, até hoje, os varredores de rua.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s