Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Estudo aponta Zonas Norte e Oeste com maior taxa de infecção por Covid-19

O levantamento do Instituto d’Or se baseou em 24 485 exames realizados na capital desde o fim de abril

Por Carolina Barbosa Atualizado em 18 jun 2020, 12h40 - Publicado em 18 jun 2020, 12h39

Um estudo feito pelo Instituto d’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) em parceria com a empresa Zoox Smart Data, entre o fim de abril e a última segunda (15), apontou que bairros das Zonas Norte e Oeste do Rio têm a maior concentração de contaminação para a Covid-19. Com base em 24 485 exames realizados na capital com usuários do aplicativo Dados do Bem, o levantamento mostrou que Copacabana, campeã no número de casos de coronavírus, tem cerca de um resultado positivo para cada dez testes, enquanto Barros Filho tem uma confirmação a cada dois casos, ou seja, um índice de infecção de 54,29%.

+Falta de ar: psiquiatra explica a diferença entre Covid-19 e ansiedade

Enquanto a taxa média de contaminação da capital é de 13,9%, algumas regiões registram percentuais muito mais elevados, como Engenheiro Leal (40%), Colégio (35,9%), Vaz Lobo (35,71%) e Guadalupe (33,3%). Na Zona Oeste, completam a lista lugares como Pedra de Guaratiba (35,71%) e Senador Camará (35,04%).

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Quando se fala em Zona Sul, a maior taxa de contaminação é vista no Flamengo, onde 17,4% dos testes para Covid-19 analisados deram positivo. Em Copacabana, líder em casos confirmados, com 1979 infectados, a taxa é de 10,16%.

+Médico e cirurgião plástico reúne R$32 mil reais para doações

Continua após a publicidade
Publicidade