Clique e assine por apenas 7,90/mês

Veja dicas do colégio pH para Ciências Humanas, Português e Redação

As dicas são ideais para os estudantes que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) , marcado para os dias 5 e 6 de novembro 

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 5 dez 2016, 11h00 - Publicado em 11 out 2016, 20h23

O colégio pH disponibilizou a VEJA RIO dicas de Ciências Humanas e suas Tecnologias e de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias para os estudantes que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio, marcado para os dias 5 e 6 de novembro.

+ Veja dicas do colégio pH para Física, Matemática e Química

+ Confira dicas e assuntos que podem cair no ENEM 2016

GEOGRAFIA (dicas do professor Augusto Neto):

1) Enfoque em temas ligados à Sociedade e Cultura;

Esse ponto é considerado uma mudança que já vinha sendo protagonizada por alguns vestibulares regionais, mas que encontrou no ENEM seu principal motor. Os conteúdos associados à geopolítica e à economia não foram abandonados, mas se tornaram coadjuvantes em meio a uma prova que analisa o senso crítico e a percepção cultural do avaliado.

2) Escala nacional e foco no Brasil;

Em uma preparação para o exame devemos sempre nos lembrar do fato de que se trata de uma prova aplicada em escala nacional. Alguns conteúdos regionais evidentemente são de interesse nacional e podem ser cobrados. No entanto, elementos muito específicos de estados ou cidades brasileiras não são cabíveis em um exame que se pretende universal a todos os brasileiros. Além disso, os conteúdos da área de Geografia enfatizam a aplicação dos conceitos e conhecimentos sobre o Brasil.

3) Temas inclusivos, direitos humanos e cidadania;

Tanto em seus temas de redação quando nas questões da prova de Ciências Humanas, observa-se um esforço por trazer à tona as discussões sobre minorias e problematizações associadas ao respeito de direitos fundamentais dos mais diferentes indivíduos (no que diz respeito à etnia, religião, origem social, gênero, orientação sexual, etc.). Além disso, a matriz de habilidades e competências da prova deixa transparente a intenção de checar no aluno seu grau de compreensão sobre questões de política e cidadania.

4) Os impactos da tecnologia na vida moderna;

Observou-se ao longo dos últimos anos um grande esforço na elaboração de itens do exame em vincular os avanços tecnológicos aos seus respectivos impactos na sociedade, no mundo do trabalho e nas relações econômicas e de poder. Dificilmente nos deparamos com uma questão que aborde o comércio internacional, a produção industrial, os sistemas agrícolas ou os meios de comunicação, por exemplo, sem que esses temas estejam direta ou indiretamente associados com a identificação crítica do papel das tecnologias nessas transformações.

5) Geografia física aplicada.

Os temas associados à compreensão da natureza sempre foram historicamente presentes no vestibular, embora o protagonismo desses conhecimentos tenha se tornado cada vez menor com o passar do tempo. Na prova do ENEM, há um resgate da importância dos conteúdos ligados às dinâmicas do ambiente natural, porém, isso ocorre de forma objetivamente aplicada. Basicamente, encontraremos itens sobre o meio físico e o clima com toda certeza. No entanto, dificilmente o item não terá como pano de fundo uma questão associada ao uso de recursos naturais, aos impactos ambientais, etc.

 

HISTÓRIA (dicas do professor Igor Vieira)

1) Cidadania na Antiguidade (ex.: Atenas)

Dentro da matriz de referência do ENEM consta, na Competência 5, habilidades relacionadas à cidadania. Sendo assim, é fundamental que o aluno saiba relacionar cidadania e democracia compreendendo as origens desses conceitos e suas evoluções ao longo do tempo.

2) Abolicionismo no Brasil

É muito comum no ENEM a cobrança de temas relacionados à mobilização social e conquista da cidadania ou ações de inclusão social. Nesse sentido, uma das mais marcantes mobilizações da história brasileira é a dos negros escravizados que culminou no fim a escravidão em 1888.

3) Aspectos da cultura popular (ex.: manifestações artísticas, esporte, culinária, etc)

Na Competência 1, há habilidades que exploram as manifestações culturais do passado e do presente nas sociedades. Desse modo, é imprescindível que o candidato tenha domínio sobre as manifestações culturais e artísticas do Brasil, bem como suas origens.

4) Construção da memória e da identidade

Questões sobre a formação da memória e a construção da identidade são recorrentes no ENEM. Porém, essas questões, em geral, apresentam dificuldades aos alunos. Portanto, ter uma visão crítica sobre esses dois elementos é de grande relevância e pode significar um desempenho diferenciado no exame.

5) Movimentos sociais ao longo da história (ex.: movimento operário, rebeliões de escravos, revoltas da Primeira República)

Ao longo da Matriz de Referência do ENEM é possível encontrar diversas habilidades que se relacionam com a mobilização e a luta da sociedade. Sendo assim, é importante que o candidato esteja ciente que os grupos sociais são agentes da sua própria história e que o ENEM valoriza questões que apontem nesse sentido.

 

REDAÇÃO (dicas do professor Thiago Braga):

1) A preparação para a redação passa pelo relembrar de todas as estruturas básicas concernentes ao texto dissertativo argumentativo. As funções da introdução, do desenvolvimento e da conclusão, além da linguagem impessoal, do respeito à norma culta e à coerência externa.

2) É necessário estar atento ao cotidiano e conhecer bem a realidade na qual se vive. Bancas como a do Enem, por exemplo, trabalham temas ligados ao contexto social brasileiro, e conhecê-lo, por meio de jornais, revistas e pela internet, é fundamental. O cuidado com a veracidade das informações é muito importante, por isso, faz-se preciso verificar as fontes responsáveis por elas.

3) Todo texto escrito é um emaranhado de palavras que, interligadas, produzem um sentido único e global. Para que se produza um texto, é necessário que sejam dominadas as estratégias de coesão de que a Língua Portuguesa dispõe. Conhecer as conjunções e seus respectivos valores semânticos é um primeiro passo fundamental para o sucesso da produção textual.

4) É a prática que leva à perfeição. Logo, não adianta estudar redação sem produzir bastantes textos. Para o aluno que se prepara para o vestibular, vale a produção de duas a quatro redações por semana. Vale lembrar, no entanto, que alguém precisa corrigir a sua produção, apontando pontos fracos que podem evoluir com as novas práticas.

Dicas de temas possíveis:

1) A necessidade de implementação de novos modelos de transporte nas grandes cidades brasileiras

Trata-se de um tema importante, já que liga transporte e meio-ambiente. O candidato precisa pesquisar sobre os corredores de ônibus, a ênfase no transporte coletivo, transporte sustentável e uso de ciclovias, ciclorrotas e ciclofaixas.

2) Como intensificar o combate ao racismo no Brasil

Embora o Enem tenha discutido o desafio de se conviver com as diferenças em 2007, a banca nunca trabalhou especificamente o tema do racismo. Esse assunto aparece em destaque na mídia a todo o momento e se trata de um dos problemas mais graves do Brasil atual.

3) Esporte como fator de  integração social

O tema sobre esportes é aguardado desde que o Rio de Janeiro foi escolhido como sede das Olimpíadas. A inclusão social por meio da prática esportiva, a transmissão de valores educativos e os benefícios físicos aos praticantes são elementos que podem estar em destaque na discussão proposta pela banca.

4) Alternativas para conter o aumento da violência urbana no Brasil

A violência urbana no Brasil é um tema que sempre deve ser considerado pelos candidatos em uma prova de vestibular. Houve, em algumas cidades do país, aumento no número de casos de violência e isso pode ser escolhido como o problema sobre o qual os jovens precisam refletir na redação.

5) Democratização do acesso à informação no Brasil atual

O foco dessa discussão pode ser o fato de muitas pessoas ainda não terem acesso à internet, o que acaba corroborando uma perspectiva de exclusão digital. A educação à distância por meio da rede mundial de computadores tem sido uma forma de transmitir conhecimento e fazer com que as pessoas desenvolvam suas potencialidades, mas para que isso aconteça, é necessário que o acesso a ela esteja garantido.

 

INGLÊS (dicas do professor Leandro Torres)

1) Com a prova do Enem se aproximando, uma boa dica é refazer os exames anteriores de Inglês. Assim, poderá se determinar o estilo de prova, o tipo de questão cobrada e identificar o que seria necessário para reforçar nos estudos.

2) Uma das principais armadilhas das provas de Inglês são os falsos cognatos: palavras como “push”, “realise”, “pretend” e “actually” que são erroneamente associadas a palavras parecidas em Português. Por isso, o estudo prévio dos falsos cognatos pode ajudar no momento de resolver a prova.

3) Atenção a este assunto importante: polissemia. Dependendo de sua utilização no texto, uma mesma palavra pode variar de classe gramatical e, portanto, de significado. É exatamente o caso do termo “rose”. Afinal, como substantivo, faz referência à flor e, como verbo, é o passado de “rise” (subir, aumentar). Portanto, atentem para o contexto em que a palavra está inserida.

4) Na prova do Enem, vocês podem se deparar com termos que desconheçam. Uma boa dica para lidar com isso é analisar a estrutura mórfica; isto é, perceber os prefixos, sufixos e o próprio radical da palavra – esses elementos podem nos ajudar a chegar ao significado correto. Façam uma lista com os prefixos e sufixos em Inglês, não se esquecendo de determinar os sentidos que eles expressam.

5) Um elemento importante para a coesão e coerência de um texto são os marcadores de discurso (conjunções ou conectivos). Lembrem-se de que podemos encontrar várias ideias, como tempo, causa, finalidade, entre outros. Uma boa dica, portanto, é fazer uma lista dos marcadores de discurso e os respectivos sentidos expressos, de modo que a compreensão do texto seja a mais fiel possível ao que está escrito.

6) Como sabemos, a prova de Inglês do Enem é principal e essencialmente de compreensão leitora. Por isso, para que haja uma boa e real compreensão, é útil perceber os títulos, as fontes dos textos e as eventuais imagens. Por serem uma linguagem não verbal, as imagens nos auxiliam a reconhecer o possível assunto do texto. O passo seguinte é ler com muita atenção.

7) Há vários passos para se preparar adequadamente para a prova do Enem e um desses passos é justamente estar atualizado quanto aos principais acontecimentos do mundo. É bastante comum o Enem cobrar temas da atualidade em suas provas. Exatamente por isso, é válido conhecer os assuntos e pesquisá-los em Inglês, familiarizando-se com termos e expressões ligados ao tema.

 

PORTUGUÊS (Raphael Hormes)

1) Ao contrário de provas mais convencionais, o Enem traz uma abordagem diferenciada da Gramática. A cobrança meramente classificatória dá vez à outra na qual prevalecem o reconhecimento de usos padrão e coloquial da língua; ou os efeitos semânticos e discursivos dos mecanismos gramaticais. Por exemplo, ao estudar verbo, não importa que “tinha dito” seja pretérito mais-que-perfeito composto, mas que se perceba que seu emprego é inadequado em construções como “Se eu soubesse, tinha dito umas verdades a ela” nas quais se deve empregar “teria dito” ou “diria”.

2) Um conteúdo relevante para a prova de Linguagens e a Redação são as conjunções. O candidato precisa conhecer bem os seus sentidos, as diversas opções delas para um mesmo sentido, o impacto delas no texto que lemos ou elaboramos. É preciso, então, a função coesiva desse mecanismo gramatical e o seu impacto na própria elaboração da mensagem ou da argumentação.

3) O estudo da Literatura deve ser feito focando não apenas nas escolas literárias (Barroco, Arcadismo…), mas também os gêneros textuais (propaganda, blog, anedota…) e literários (lírico, dramático, crônica…). Por isso, vale a pena conhecer as características estruturais dos diversos gêneros e as diferenças entre eles das intenções e finalidades.

4) Um assunto inevitável no Enem são as funções da linguagem, porque existe uma habilidade que especificamente afirma “analisar a função predominante dos textos”. O aluno, portanto, precisa conhecer os nomes delas (informativa/referencial; poética/estética; emotiva/expressiva; apelativa/conativa; fática, metalinguística) e os elementos linguísticos (por exemplo, o modo imperativo como marca de apelação; ou a ênfase na 1ª pessoa como traço emotivo) que as caracterizam.

5) Na matriz elaborada pelo Inep, a competência 8 centra-se nas variações linguísticas. Desse modo, torna-se relevante reconhecer as múltiplas formas de realização da língua de acordo com situação ou contexto; idade; região, nível socioeconômico; escrita ou fala; profissão. Para isso, o aluno precisa ter ciência das regras gramaticais e reconhecimento de usos que extrapolam essas prescrições normativas.

Publicidade