Continua após publicidade

Uerj pagou R$ 433 mil a parentes de coordenador de campanha de ex-reitor

Com 31.490 votos, Ricardo Lodi não foi eleito deputado federal, mas ficou como suplente; ele contratou a mulher e a sogra de Samuel Marques dos Santos

Por Da Redação
2 jun 2023, 18h27

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) contratou a sogra e a mulher do coordenador da campanha do ex-reitor Ricardo Lodi, Samuel Marques dos Santos. Lodi se candidatou a deputado federal pelo PT no ano passado. Ao todo, a família de Santos recebeu 433 mil reais em projeto de pesquisa com folhas de pagamento secretas às vésperas e durante o período da disputa eleitoral que durou pouco mais de um ano. Repositora de supermercado, a sogra dele, Márcia Lúcia Ramos, ganhou até 37 mil reais brutos por mês, totalizando 192 mil reais brutos entre maio e dezembro do ano passado. As informações são do UOL.

+ Vídeo com ataques a professores de escola particular vira caso de polícia

Márcia é repositora de mercadorias de um supermercado em Volta Redonda, no sul fluminense. O salário para essa função costuma ser de até 2.000 reais. Já a psicóloga Gláucia Ramos Marques, esposa de Santos, ganhou da Uerj 146 mil reais ao longo de nove meses. A contratação de mãe e filha se deu logo após o desligamento de Santos da Uerj — entre novembro de 2021 e abril de 2022, ele recebeu 95 mil reais da universidade de projeto com folha secreta.

Os três receberam pelo projeto de inovação educacional Escola Criativa e de Oportunidades (ECO), que foi utilizado para abrigar cabos eleitorais da cúpula do PL e um assessor do vereador do Rio Carlos Bolsonaro (Republicanos). Ao UOL, a Uerj defendeu a contratação da família alegando que valoriza o que chama de “experiência empírica” —conhecimento adquirido por meio de observação ou prática. Sobre o apoio político de contratados, a Uerj diz que se trata de direito individual garantido pela Constituição (leia a íntegra da nota). Já Samuel Santos diz que há provas do trabalho dele e das parentes nos projetos da Uerj. Tanto ele quanto Lodi negam influência do ex-reitor nas indicações

Continua após a publicidade

+ Vídeo com ataques a professores de escola particular vira caso de polícia

Ricardo Lodi foi reitor da Uerj de janeiro de 2020 a março de 2022, quando se afastou para se dedicar à candidatura. De acordo com o UOL, o ex-reitor recebeu 10,5 mil reais em doações de pessoas contratadas nas folhas secretas da Uerj. Esses dez doadores ganharam ao todo mais de 1,7 milhão de reais da universidade. Com 31.490 votos, ele não foi eleito deputado federal, mas ficou como segundo suplente. Lodi atuou como advogado da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) no processo de impeachment.

Continua após a publicidade
Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

A melhor notícia da Black Friday

Receba VEJA e VEJA RIO impressas pelo melhor preço do ano!

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te oferecer!

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site, edições e acervos digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 29,90/mês
(Melhor oferta do ano!)