Continua após publicidade

Tragédia em Minas Gerais gera onda de protesto e solidariedade

No Rio, o maior desastre ambiental da história do país reverberou na forma de atos públicos e campanhas de ajuda às vítimas

Por Pedro Tinoco
Atualizado em 5 dez 2016, 11h40 - Publicado em 20 nov 2015, 00h00

A triste contagem dos danos provocados pela catástrofe inclui onze mortos já identificados, pelo menos mais uma dúzia de desaparecidos e uma montanha de lama que, em movimento no curso do Rio Doce, deixa sua marca de degradação ambiental nas cidades por onde passa, ao longo dos estados de Minas Gerais e do Espírito Santo, a caminho do mar. Tudo começou, como se sabe, com o rompimento de duas barragens onde se acumulavam dejetos produzidos pela mineradora Samarco, no último dia 5. Liberados, 62 milhões de metros cúbicos de lodo barrento destruíram o distrito de Bento Rodrigues, na cidade de Mariana, em Minas. Na segunda (16), no Centro, houve protestos em frente à sede da Vale — o gigante brasileiro dono da Samarco, ao lado da empresa anglo-australiana BHP Billiton. Manifestantes jogaram lama na fachada do prédio, pintaram-se de marrom e deitaram-se no chão, representando as vítimas fatais do desastre. Outro reflexo por aqui foi a corrente de solidariedade. Informações sobre pontos de coleta de donativos multiplicaram-se nas redes sociais, mobilizando um leque social variado que foi do Palácio Maçônico, na Rua do Lavradio, a fãs da cantora Rihanna. O empresário carioca Lucio Amorim criou o site colaborativo Rio Doce Help!, com o objetivo de concentrar a ajuda às vítimas, e caravanas se formaram para entregar os mantimentos diretamente, aproveitando o feriado de sexta (20). Duas reações diversas mas não excludentes entre si, indignação e ajuda refletiram a forma como os cariocas se posicionaram diante do desastre e serviram como libelos contra o descaso e a impunidade.

 

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.