Clique e assine por apenas 4,90/mês

Reclamações contra sites de compra online crescem até 60%

Grande número de queixas faz Defensoria Pública notificar sites de compras coletivas e vendas pela internet

Por Ernesto Neves - Atualizado em 5 dez 2016, 15h47 - Publicado em 25 jan 2012, 16h29

Comprar pela internet pode ser uma opção confortável para o consumidor, mas rende cada vez mais problemas. A Defensoria Pública do Rio registrou, entre agosto e dezembro de 2011, um aumento de 60% na quantidade de queixas contra sites de compra coletiva e comércio online. Nesta semana, o Núcleo de Defesa do Consumidor da Defensoria (Nudecon) notificou os sites que lideram o ranking de reclamações no Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor (Sindec).

De acordo com a Defensoria, os endereços de compra virtual vão ter até 30 dias para apresentar uma resposta à notificação. Após encerrar o prazo, os defensores do Nudecon vão elaborar um termo de ajustamento para enquadrar o comércio online às normas do Código de Defesa do Consumidor. Além disso, também será checado se as empresas dispõe de um serviço de atendimento ao cliente.

Segundo informa o órgão, a maior parte das reclamações diz respeito ao procedimento adotado em caso de desistência da compra. Também são comuns queixas a falta de informações sobre a utilização dos produtos e serviços vendidos e o descumprimento dos prazos de entrega.

Publicidade