Clique e assine por apenas 4,90/mês

Shopping na Barra da Tijuca recebe exposição sobre o Egito Antigo

Histórias e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por Heloiza Gomes - Atualizado em 2 jun 2017, 12h14 - Publicado em 13 fev 2016, 00h00

Do tempo dos faraós

O Egito antigo desembarcou nos corredores do Shopping Metropolitano Barra. Depois de passar por sete países, entre eles Japão e Alemanha, uma mostra idealizada pelo artista plástico e egiptólogo Essam Elbattal apresenta mais de 400 peças, entre sarcófagos, objetos funerários e pinturas em papiro. “A exposição conta mais de 3 400 anos de história. Percorro o mundo com a exposição há vinte anos, e as pessoas ficam impressionadas. Para elas, o Egito é um mistério”, diz Essam, que iniciou o projeto em 1996, em Porto Alegre. “E uma das coisas que mais fascinam o público é saber sobre a mumificação”, conta o artista plástico. Quem quiser conhecer mais segredos dos faraós tem até 20 de fevereiro.

Suvenir polivalente

Um suvenir bem peculiar tem atraído a atenção dos frequentadores do Museu de Arte Moderna (MAM), no Flamengo, e do Museu de Arte do Rio, na Praça Mauá. Trata-se dos porta-copos com estampas que fazem referência à Cidade Olímpica, criados pela designer carioca Solange Mello. Feitos do mesmo material do SlimPlastt (revestimento decorativo de polipropileno também criado por ela), eles são vendidos em embalagens com quatro (R$ 16,00) e oito peças (R$ 32,00) e suas imagens vão além da reprodução de pontos turísticos — há ícones cariocas como, por exemplo, copo de caipirinha e par de chinelos. Detalhe: no verso, eles têm uma mensagem, em inglês e português, explicando que podem servir de revestimento para paredes. “A ideia é que os porta-copos possam ser usados também na decoração”, explica Solange.

Porta-copos com estampas que fazem referência à Cidade Olímpica, criados pela designer carioca Solange Mello
Porta-copos com estampas que fazem referência à Cidade Olímpica, criados pela designer carioca Solange Mello

Por uma cidade mais feliz

O Rio de Janeiro tem problemas? Claro. Mas a advogada Andrea Meirelles resolveu dar uma mãozinha para melhorar a imagem da cidade. Criou o movimento I Am Rio, que pretende fazer com que cariocas, da gema ou de coração, pratiquem atitudes sustentáveis e apoiem ações que beneficiem os necessitados. O primeiro passo já foi dado. O selo acaba de lançar uma camiseta produzida em tecido reciclável a partir de garrafa PET. A peça traz ainda uma etiqueta-semente, que, seguindo-se as dicas de plantio, se transforma em um pé de rúcula ou agrião. E mais: a embalagem vira um cofrinho e vem acompanhada de um cartão-postal com as belezas naturais da cidade e um mapa local. Para completar a boa ação, parte do dinheiro arrecadado com as vendas será destinada ao Instituto da Criança. A camiseta está à venda na loja Dona Coisa, no Jardim Botânico.

Kit do movimento I Am Rio
Kit do movimento I Am Rio

30 reais…

…é o valor da mensalidade do pré-vestibular social Apis, na Tijuca. O projeto marca os dez anos do Colégio e Vestibular de A a Z. A proposta é oferecer a quem ganha até um salário mínimo e meio acesso ao ensino inusitado da instituição, cujos professores usam violão, dinâmicas e música para ajudar o aluno a fixar o conteúdo. “Sempre tivemos vontade de devolver à sociedade um pouco daquilo que temos. O pré-vestibular era um sonho antigo”, explica Carlos Ferrão, um dos fundadores do A a Z.

Publicidade