Continua após publicidade

Rio tem 5,2 mil casos notificados de grávidas com sintoma de zika

Número aumentou 9% na última semana, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro

Por Agência Estado
Atualizado em 5 dez 2016, 11h26 - Publicado em 4 mar 2016, 14h46

O número de notificações de grávidas com manchas vermelhas no corpo aumentou 9% na última semana, de acordo com o boletim epidemiológico divulgado nesta quinta-feira, 3, pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) do Rio de Janeiro. Desde que o registro desse tipo de sintoma passou a ser obrigatório, em 18 de novembro do ano passado, 5.219 gestantes perceberam a pele manchada. Até a semana anterior, o órgão havia recebido 4.746 notificações de grávidas com esse sintoma.

+ Zika pode infectar pernilongo comum, diz Fiocruz

+ Governo lança aplicativo gratuito com informações sobre o Zika

+ Rio lança projeto de acolhimento de gestantes portadoras do vírus Zika

+ Um batalhão de cientistas junta esforços para combater o Aedes aegypti

Continua após a publicidade

Do total de gestantes com manchas vermelhas na pele, 188 tiveram a confirmação de que foram infectadas pela vírus zika após a realização de exames. No entanto, ainda não há confirmação se os fetos apresentam microcefalia ou outra sequela neurológica.

Os casos de microcefalia notificados pela secretaria passaram de 252 para 255 na última semana. A SES investiga as causas que provocaram a má-formação congênita nos bebês. Do total, 206 são de crianças já nascidas e os outros 49 são referentes a bebês ainda na barriga da mãe. Em apenas dois casos, ficou comprovada a associação entre microcefalia e o zika.

O subsecretário de Vigilância em Saúde, Alexandre Chieppe, afirmou que os registros de zika e microcefalia diminuíram nas últimas semanas. “Ainda é prematuro fazer qualquer afirmação, mas uma hipótese é a maior adesão das grávidas aos procedimentos de proteção individual ao mosquito que transmite o vírus”, disse.

Nesta quinta-feira, 3, foi realizado o segundo dia do atendimento de crianças com microcefalia expostas ao zika no Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, no Rio. Nove bebês e os pais têm recebido atendimento de uma equipe multidisciplinar com neuropediatras, pediatras, fisioterapeutas, fonoaudiológico, psicólogo e assistente social. Eles já fizeram exame de vídeo-eletroencefalograma e, em um segundo momento, passarão por exames de imagem.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.