Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Reitoria da UFRJ alerta para risco de novos incêndios na universidade

Maiores problemas estão na Cidade Universitária e no Ifics. Obras em uma das unidades estão orçadas em 50 milhões de reais, mas orçamento é de 11 milhões

Por Da Redação 26 jan 2022, 14h38

A reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) está preocupada com a evolução das rachaduras em seus prédios e alerta para riscos de incêndios. Sem dinheiro em caixa e com cortes orçamentários à vista, o vice-reitor da instituição, Carlos Frederico Leão Rocha, conta que o polo que concentra a maior quantidade de problemas é o que abriga a Reitoria da instituição, o Jorge Machado Moreira, na Cidade Universitária. Mas o Instituto de Filosofia e Ciências Sociais (Ifcs), no Centro, também corre sérios riscos. Os problemas comprometem o retorno às aulas presenciais em ambos os edifícios.

+ Nômades digitais: regulamentação abre portas para Rio se tornar polo na América do Sul

Em entrevista ao portal Metrópolis, Leão Rocha afirma que o prédio da Reitoria precisa de uma reforma na parte elétrica do terceiro ao quinto andar e que, em alguns blocos, os pilares de sustentação têm rachaduras. O prédio, que tem um histórico de incêndios, não conta com brigada especializada e só tem uma escadaria central. A edificação também sofre com vazamentos nos telhados e quedas de pastilhas e reboco da fachada, que é tombada. Com selo de tombamento pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), as reformas ficam mais caras e mais complexas. “Calculamos que a reforma apenas do prédio da Reitoria daria R$ 50 milhões. Hoje, temos R$ 11 milhões destinados ao Jorge Machado Moreira”, afirma ele.

O prédio da Reitoria da UFRJ já foi vítima de incêndios que comprometeram parte de sua estrutura e aulas de cursos da Escola de Belas Artes (EBA) e da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Em 2016, o oitavo andar do prédio foi destruído pelas chamas e até hoje um pedaço considerável da estrutura está isolado​. Em abril do ano passado, parte do segundo andar também foi tomada pelo fogo.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

“O Ifcs tem sérios problemas nas instalações hidráulicas e elétricas. Estamos nos movimentando, mas faltam recursos. Isso tudo afeta a qualidade do ensino, assim como a questão dos recursos de tecnologia e software necessários para aulas”, acrescenta Leão Rocha. Ele calcula que só os reparos na parte hidráulica custarão cerca de R$ 500 mil à universidade. “Também precisamos de uma reforma elétrica total por lá, além de trocar toda a fiação. A nossa preocupação com isso é que grande parte dos incêndios em prédios da UFRJ foram originados na parte elétrica”, explica.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado, com Blogs e Colunistas que são a cara da cidade.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

App Veja para celular e tablet, atualizado mensalmente com todas as edições da Veja Rio

a partir de R$ 12,90/mês