Clique e assine por apenas 3,90/mês

Reforma do Real Gabinete Português de Leitura deve acabar em maio

Sua suntuosidade arquitetônica lhe deu, em 2014, o quarto lugar na lista das vinte bibliotecas mais lindas do mundo, da revista americana Time

Por Heloíza Gomes - 21 jan 2017, 10h56

Em 14 de maio de 1837, um grupo de 43 imigrantes portugueses decidiu fundar uma biblioteca, com o objetivo de ampliar o conhecimento da comunidade que vivia na então capital do Império. Assim nasceu o Real Gabinete Português de Leitura, que passou por diversos endereços antes de se instalar na atual sede, na Rua da Lampadosa (hoje Luís de Camões), em 1888. A construção do prédio, em estilo neomanuelino, evoca a epopeia camoniana — o pretexto para a obra foi o tricentenário da morte do poeta português. Aliás, a suntuosidade arquitetônica lhe deu, em 2014, o quarto lugar na lista das vinte bibliotecas mais lindas do mundo, da revista americana Time. No ano seguinte, foi iniciada a reforma, cujo término, previsto para maio, marcará as comemorações de seus 180 anos.

Publicidade