Continua após publicidade

Começa a funcionar no Rio a primeira clínica jurídica LGBTQIA+ do Brasil

Projeto realizado em parceria com a Universidade Federal Fluminense oferece serviços de assistência exclusivos a essa população

Por Redação VEJA RIO Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 22 jun 2022, 13h01 - Publicado em 22 jun 2022, 12h57

O estado do Rio ganha a primeira clínica jurídica do país exclusivamente voltada ao público LGBTQIA+. A iniciativa foi implantada na cidade de Niterói, na Região Metropolitana, com incentivo do Programa de Desenvolvimento de Projetos Aplicados (PDPA) e por meio da parceria entre a Prefeitura de Niterói, a Universidade Federal Fluminense (UFF) e a Fundação Euclides da Cunha (FEC).

+ ONGs cariocas estão em dificuldades por queda nas doações de alimentos

Coordenado pelos professores da Faculdade de Direito da UFF Carla Appollinario de Castro e Eder Fernandes Monica, o projeto tem o objetivo de promover serviços de assistência e assessoria jurídica, além de ampliar o acesso a direitos sociais básicos – muitas vezes negados a essa parcela da população mais vulnerável – como saúde, moradia, alimentação, nome civil, educação, entre outros.

Entre as frente da clínica, estão o desenvolvimento de cursos de formação para órgãos públicos e empresas e a publicação de materiais didáticos, como cartilhas e guias, com orientações diversas para o público LGBTQIA+.

Compartilhe essa matéria via:

“Acreditamos que as ações e atividades da Clínica, embora voltadas em um primeiro momento à comunidade LGBTQIA+ de Niterói, podem e têm contribuído concretamente para a difusão de um modelo de educação popular que se pauta pelo respeito à vida e à diversidade não apenas de quem se encaixa nesse perfil específico, mas de toda a sociedade que têm urgência em superar paradigmas contrários à democracia plena e irrestrita”, afirmou a professora Carla Appollinario em audiência pública na Câmara de Vereadores de Niterói .

A equipe da clínica conta atualmente com alunos de graduação e pós-graduação do curso de Direito e do Audiovisual, sendo cinco bolsistas e nove voluntários. Para os coordenadores, o projeto é uma oportunidade para os estudantes terem aprendizados a partir de casos concretos. Os atendimentos são realizados de forma remota ou presencial, com agendamento prévio, na Faculdade de Direito da universidade ou na sede do Grupo Diversidade Niterói (Avenida Visconde do Rio Branco, 627).

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.