Clique e assine por apenas 4,90/mês

Prefeitura gastará R$ 1,5 milhão para restaurar monumentos

Alvos de vandalismos na cidade chegaram a 102 casos neste ano, um número 54,5% superior ao mesmo período no ano passado

Por Redação Veja Rio - Atualizado em 5 dez 2016, 11h37 - Publicado em 9 dez 2015, 16h10

A estátua de Noel Rosa, um dos símbolos do bairro de Vila Isabel, amanheceu na terça (8) parcialmente destruída por ação de vândalos. Desta vez arrancaram o braço esquerdo, o pé e o sapato da estátua do sambista, além do braço do garçom. A outra, em homenagem ao poeta Carlos Drummond de Andrade, em Copacabana, quando não é pichada, tem os óculos arrancados. Responsável pela manutenção dos monumentos cariocas, a secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos terá que desembolsar a fortuna de R$ 1,5 milhão, além do orçamento de R$ 2,5 milhões previstos, para restaurar os marcos da cidade que foram alvos da ação de os monumentos que foram alvos de depredação.

+ Livro faz inventário dos botequins cariocas desde a fundação do Rio

O município precisará restaurar 102 monumentos atacados entre janeiro e dezembro deste ano. Em 2014, a contabilidade da destruição chegou ao número de 66 atos de violência, enquanto em 2013 foram 86. Com os cálculos, as ações de vândalos neste período subiram 54,5% no Rio. Enquanto o processo de restauro não continua a Polícia Civil investiga os casos e apura a existência de testemunhas para resolver o caso em Vila Isabel.

Publicidade