Continua após publicidade

A nova aposta da prefeitura para evitar enchentes na Tijuca

Obras para 'Túnel hidráulico' devem durar dois anos e prevêem desvio de 75% da chuvaa que chega ao Rio Maracanã para galeria subterrânea de grande porte

Por Da Redação
6 jul 2023, 17h13

Depois dos piscinões, um túnel hidráulico subterrâneo. Este é o novo caminho que a prefeitura do Rio pretende seguir para tentar acabar com as enchentes da região da Grande Tijuca. A rede de piscinões foi implantada nos últimos dez anos para receber e acumular as chuvas que caem sobre a Tijuca e a Praça da Bandeira. Agora, o túnel que terá 1.028,6 metros de extensão será usado para desviar 75% das águas que chegam ao Rio Maracanã, que costuma transbordar. O projeto prevê que as galerias de águas pluviais de diversas ruas do Maracanã e do Grajaú – entre as quais Maxwell, Dona Zulmira e Felipe Camarão – sejam captadas pela estrutura, que será implantada entre a Praça Varnhagen e o Rio Joana, nas proximidades do Canal do Mangue. Ao se encontrar com o Rio Joana, a água seguirá por um outro túnel de grande porte construído em 2019, até o Canal do Cunha, desaguando na Baía de Guanabara.

+ Por que a Praia do Flamengo (ou Catete) tem estado própria para banho

As intervenções, previstas em uma licitação marcada para o próximo dia 27, vão durar dois anos e incluem também melhorias operacionais em parte dos piscinões. As estruturas da Praça Varnhagen e da Praça Niterói terão as comportas automatizados com o objetivo de acelerar o escoamento da água. Essa regulação de vazão permitirá que os piscinões só sejam acionados nas chuvas mais fortes.

Segundo o presidente da Fundação Rio Águas, Wanderson José dos Santos, em entrevista ao Globo, o novo túnel foi dimencionado após a avaliação de uma série histórica de 25 anos das maiores chuvas que já ocorreram na região. E automatização dos piscinões permitirá que a água escoe por meio da gravidade, sem precisar mais que isso seja feito por bombas, como acontece hoje., o que vai facilitar o escoamento“, disse ele.

Continua após a publicidade

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Wanderson explicou que as escavações ocorrerão sem interferências no trânsito. Um dos canteiros de obras será instalado na Praça Emilio Garrastazu Médici, nas proximidades da Uerj. Ali , os operários farão a escavação do túnel, a uma profundidade de até 6,5 metros. O plano final para as enchentes da Grande Tijuca é diferente da concepção original. Em 2010, quando o município anunciou as intervenções, havia um projeto para construir quatro piscinões. Destes, três saíram do papel: Varnhagen, Praça Niterói e Praça da Bandeira, porque os projetos foram revistos e as obras custaram mais do que previsto . Em lugar de o sistema absorver 281 milhões de litros, o projeto que saiu do papel só consegue captar 119 milhões de litros — 42,3% do previsto.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.