Clique e assine por apenas 3,90/mês

Polícia prende suspeito de envolvimento no caso Marielle

Thiago Macaco teria clonado Cobalt prata usado nas execuções

Por Redação VEJA RIO - Atualizado em 30 Maio 2018, 14h43 - Publicado em 30 Maio 2018, 14h41
Ato contra assassinato da vereadora Marielle Franco na Cinelândia
Saulo Guimarães/Veja Rio

Thiago Bruno Mendonça foi preso no shopping Nova América na tarde desta terça (30). Conhecido como Thiago Macaco, ele é acusado de envolvimento nas mortes da vereadora Marielle Franco e de seu motorista Anderson Gomes, que completam 3 meses no próximo dia 14. A notícia foi veiculada por um jornal carioca de grande circulação.

A prisão de Thiago por membros da Delegacia de Homicídios da capital aconteceu por conta de um mandado expedido pela 2ª Vara Criminal. De acordo com a ordem judicial, o homem é suspeito de ter assassinado o líder comunitário Carlos Alexandre Pereira Maria, o Alexandre Cabeça, em 8 de abril. Alexandre era colaborador do vereador Marcello Siciliano (PHS), que é acusado de envolvimento com milícias na Zona Oeste e teria planejado a morte da parlamentar.

Segundo uma testemunha do crime, Thiago teria sido o responsável por clonar o Cobalt prata que perseguiu o carro de Marielle da Lapa até o Estácio na noite do dia 14 de março. O veículo tinha placa de Nova Iguaçu, mas o perfil do carro filmado por câmeras de vigilância não bate com os aspectos registrados para o veículo no sistema do Detran. Após Thiago, a polícia procura Ruy Ribeiro Bastos, apontado pelas investigações como um dos autores do homicídio.

Publicidade