Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Polícia do Rio promove operação contra roubo, latrocínio e receptação

43 pessoas foram presas nesta terça (25)

Por Agência Brasil Atualizado em 25 ago 2020, 11h33 - Publicado em 25 ago 2020, 10h57

A Operação Espoliador III, realizada na manhã desta terça (25) pela Polícia Civil do Rio de Janeiro em todo o estado, visa cumprir mandados de prisão contra autores de roubo, receptação e latrocínio foragidos da Justiça.

Já foram presas 43 pessoas, cujos mandados foram expedidos a partir de inquéritos policiais das delegacias de todo o estado e de levantamento realizado pela Polinter.

+Petição on-line pede permanência da Cobal do Humaitá 

 

Segundo as investigações, os roubos, em grande parte, estão vinculados a organizações criminosas de tráfico de drogas, que buscam o aumento dos lucros fruto de crimes emprestando armas para a prática de diversos tipos de roubos. A operação visa prender também receptadores das cargas roubadas e latrocidas.

+Para receber VEJA Rio em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

A polícia aponta que o crime organizado de tráfico e milícia é responsável pela maior parte dos roubos no estado. As investigações indicam que esses grupos respondem por 79% dos roubos de veículos praticados na capital, 73% na Baixada Fluminense e 84% em Niterói e São Gonçalo, na Região Metropolitana.

+Parque Nacional da Tijuca reabre trilha da Pedra Bonita nesta segunda 

Quanto aos roubos de cargas, o tráfico e a milícia participam de pelo menos 65% dos casos na capital, 64% na Baixada Fluminense e 62% em Niterói e São Gonçalo.

No ano passado, a Polícia Civil indiciou 12 587 autores de roubos e prendeu 2 135 pessoas. Em 2020, com a pandemia de covid-19 e um maior número de pessoas em isolamento social, o Instituto de Segurança Pública (ISP) aponta queda – na comparação com 2019 – de 42% nos roubos de rua, de 37% no roubo de veículos e de 34% nos roubos de carga, no período acumulado de janeiro a julho dos dois anos.

+Covid-19: Rio registra quase 211 mil casos da doença 

 

Continua após a publicidade
Publicidade