Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Golpe na praça: polícia investiga ao menos 60 motoristas de táxi por fraude no Rio

Professora com deficiência visual achou ter pagado 29 reais por corrida, mas cobrança no cartão foi de 2,9 mil reais. Táxi Rio já bloqueou 770 profissionais

Por Da Redação Atualizado em 18 jan 2022, 12h23 - Publicado em 18 jan 2022, 12h22

Mais um golpe na praça: a Polícia Civil investiga pelo menos 60 motoristas de táxi suspeitos de fraude na cobrança do valor de corridas nas ruas do Rio. A trapaça é feita através de máquinas de cartão de crédito e débito. A denúncia foi exibida no RJ-TV, da Rede Globo. Uma das vítimas é a professora aposentada Maria Cristina Adaldino, que é deficiente visual e está acostumada a digitar nas maquininhas, que têm teclas com números também identificados em braile. Ela pegou um táxi para casa após um compromisso e teclou o valor da corrida para efetuar o pagamento no cartão de crédito: 29 reais. Mas, quando chegou a fatura, constatou que o valor cobrado havia sido de 2,9 mil reais.

+ Um ano após restauro, portão do Parque Guinle, em Laranjeiras, é vandalizado

Registrada a denúncia, policiais da 9ª DP (Catete) investigaram e conseguiram identificar o motorista. Em depoimento, ele disse aos agentes que se enganou ao bater o valor da corrida. Ainda assim, o homem foi indiciado por estelionato, com pena de 4 a 8 anos de prisão. O taxista foi até a delegacia e decidiu devolver o valor para a professora.

Também Fabio Marcelino de Oliveira contou ter caído no golpe ao pegar um táxi. Ao chegar em casa, notou que o valor da corrida – que seria de 32,42 reais – foi cobrado em seu cartão como sendo 3.242 reais. “E não foi aproximação, eu digitei a senha e inseri o cartão”, afirmou Fábio que, apesar de ter ido à delegacia, ainda não conseguiu rever o dinheiro.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

A Empresa Municipal de Informática do Rio (Iplanrio), responsável pelo aplicativo Táxi Rio, informou que as reclamações recebidas vão para análise e investigação. Segundo a empresa, os casos mais graves são submetidos ao comitê de gestão para as devidas sanções e, se necessário, é aberto um processo administrativo e enviado para a Secretaria Municipal de Transporte. Segundo a empresa, em todas as situações, o taxista é notificado imediatamente ou bloqueado temporariamente. Desde o lançamento do aplicativo, em 2017, foram suspensos preventivamente 1.880 taxistas, com 717 bloqueios definitivos na plataforma.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Saiba tudo o que acontece na Cidade Maravilhosa. Assine a Veja Rio e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da Veja Rio! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

Receba mensalmente a Veja Rio impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da Veja Rio, diariamente atualizado, com Blogs e Colunistas que são a cara da cidade.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas do Rio.

App Veja para celular e tablet, atualizado mensalmente com todas as edições da Veja Rio

a partir de R$ 12,90/mês