Clique e assine por apenas 4,90/mês

Polícia Civil apreende 48 granadas no Rio, nesta terça (3)

A apreensão feita pela Delegacia de Roubos e Furtos (DRFC) é a maior da década

Por Redação VEJA RIO - 4 jul 2018, 16h49

A Delegacia de Roubos e Furtos (DRFC) fez a maior apreensão de granadas no Rio da última década, nesta terça-feira (3). Os agentes encontraram 48 explosivos, 2 fuzis, 40 carregadores, cerca de 1.800 munições calibre 7,62mm, radiotransmissores, 10 tabletes de maconhas e outras drogas em porções menores em um paiol na divisa dos bairros de Vigário Geral e Parada de Lucas. Os objetos estavam escondidos em uma laje em uma casa em um local conhecido como “Beco da Esperança”.

De acordo com o delegado da DRFC Delmir Gouvêa, os explosivos seriam utilizadas para atingir os veículos blindados das polícias. A ação teve participação de 20 agentes, recebidos a tiros por traficantes. As investigações apontam Álvaro Malaquias Santa Rosa, de 31 anos, conhecido como “Peixão”, como responsável pelo tráfico na área.

Segundo as investigações, o responsável pelo tráfico na área é Álvaro Malaquias Santa Rosa, de 31 anos, conhecido como “Peixão”, dos líderes da facção que controla o local. Ele responde por tráfico de drogas, associação ao tráfico e organização criminosa.

Publicidade