Clique e assine por apenas 7,90/mês

Obras olímpicas na Lagoa são suspensas pela justiça

Liminar exige consentimento do Iphan para a execução do projeto de arquibancadas flutuantes previsto para abrigar 10 000 torcedores nos Jogos

Por Redação Veja Rio - Atualizado em 5 dez 2016, 12h03 - Publicado em 17 jul 2015, 19h25

As obras olímpicas no entorno da Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul do Rio, foram suspensas na última quinta (16) pela Justiça Federal. A ordem judicial resulta de uma investigação iniciada em novembro de 2014, que tinha o objetivo de verificar se grandes obras já em vigor sem o consentimento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) se enquadravam nos limites de preservação ambiental estabelecidos pelo órgão público.

+ Revitalização movimenta a praia do Arpoador

Não seria o caso da Lagoa, cujo projeto de instalação de arquibancadas flutuantes para 10 000 pessoas sob o espelho d’água interferiria na preservação do conjunto paisagístico do cartão-postal, segundo a Procuradoria Geral da República. A nova liminar exige que qualquer licença ambiental concedida pela prefeitura ou estado deva ter a autorização prévia do órgão de patrimônio público. 

Publicidade