Clique e assine por apenas 4,90/mês

O Rio de Janeiro contado nas páginas da literatura

Em comemoração ao Dia Nacional do Livro, na última quinta (29), VEJA RIO listou dez clássicos em que a cidade aparece como o protagonista da história

Por Redação Veja Rio - Atualizado em 2 jun 2017, 12h23 - Publicado em 28 out 2015, 20h41

1808, Laurentino Gomes

A obra trata de forma bem humorada a chegada da Família Real Portuguesa ao Rio em 1808. De forma paralela o autor faz um retrato da cidade e sobre a formação política do país. Entre os episódios históricos mostrados o texto estão as guerras napoleônicas, revoluções republicanas e a escravidão.

Fim, Fernanda Torres
Fim, Fernanda Torres

Fim, Fernanda Torres

O livro traz cinco amigos cariocas, que à beira da morte lembram-se de passagens marcantes de suas vidas: como casamentos, separações e arrependimentos. Todos têm personalidades bem diferentes, mas que partilham não apenas o fato de estar no extremo da vida. Ao redor deles pairam mulheres de vários perfis e um padre em crise com a própria vocação e outros vários tipos retirados pela autora das ruas da cidade.

O Cortiço, Aluísio Azevedo
O Cortiço, Aluísio Azevedo

O Cortiço, Aluísio Azevedo

O romance publicado em 1890 é uma das obras de maior destaque do Naturalismo no Brasil. Os personagens são os moradores de um cortiço no Rio de Janeiro. O tipo de moradia é relacionada a formação das favelas. Lá, moram personagens que não se misturavam com a classe dominante, que se envolvem em vários conflitos decorrentes do meio em que vivem.

Triste Fim de Policarpo Quaresma
Triste Fim de Policarpo Quaresma

Triste Fim de Policarpo Quaresma, Lima Barreto

A história se passa no fim do século XIX e narra a história do major Policarpo Quaresma, um nacionalista extremado, que tem uma visão sobre o pais que é motivo de desdém e ironia. Interessado em livros de viagem, defensor da língua tupi e o personagem é um patriota, que deseja defender a nação a todo custo. A trama é ambientada no Rio entre os períodos da Proclamação da República e durante os primeiros governos presidenciais do país.

a moreninha
a moreninha

A Morerinha, de Joaquim Manuel de Macedo

O romance tem como história central o romance entre Augusto e Carolina e tem como cenário as praias da Ilha de Paquetá, na Baia de Guanabara. O texto narra os usos e costumes do país na época do Segundo Império, quando a sociedade seguia os padrões ditados pela moda europeia.

as esganadas
as esganadas

As Esganadas, de Jô Soares

O romance policial conta as aventuras de um grupo de investigadores atrás de um serial killer pouco tradicional: o dono de uma agência funerária. Com muito humor e narrativas cinematográficas, o filme retrata o Rio de Janeiro na década de 1930, em pleno governo do Estado Novo, com Getúlio Vargas como presidente.

O Anjo Pornográfico
O Anjo Pornográfico

O Anjo Pornográfico, de Ruy Castro

A biografia do escritor e jornalista Nelson Rodrigues tem como o Rio de Janeiro como cenário. Locais como a vila onde morou na Zona Norte e o próprio Maracanã são palcos de histórias sobre a vida do polêmico autor de títulos como A Vida Como Ela É, A Falecida e Bonitinha, Mas Ordinária.

Agosto, Rubem Fonseca
Agosto, Rubem Fonseca

Agosto, Rubem Fonseca

O autor mescla ficção e realidade numa história que tem se passa as vésperas do suicídio de Getúlio Vargas. Em 1º de agosto de 1954, um empresário é assassinado e outro crime é planejado na sede do governo federal. A cidade em seus tempos áureos surge em meio a trama criada pelo autor.

Cidade Partida
Cidade Partida

Cidade Partida, Zuenir Ventura

O jornalista faz um relato sobre a vida dos moradores da favela de Vigário Geral, onde a violência é a linguagem do cotidiano. Por outro lado, ele conta como a sociedade civil se mobilizou contra a violência, que resultou no movimento Viva Rio. O livro é um relato emocionado, com direito a histórias surpreendentes e heróis inusitados.

Dom Casmuro, Machado de Assis
Dom Casmuro, Machado de Assis

Dom Casmuro, Machado de Assis

Considerado uma das obras-primas da literatura nacional, o livro mostra o enigmático triângulo amoroso formado por Bentinho, Capitu e Escobar. A narrativa se passa no Rio de Janeiro, no Segundo Império, em meio a vida dos aristocratas da época.

Publicidade