Clique e assine por apenas 4,90/mês

Nova campanha de grife carioca é clicada nas alturas

Histórias e curiosidades sobre o Rio e seus habitantes

Por Lula Branco Martins - Atualizado em 2 jun 2017, 12h10 - Publicado em 2 abr 2016, 01h00

Isso é ficar bem na fita

Até onde pode chegar uma grife de roupas no afã de provar que seu novo jeans tem elasticidade: pôr um sujeito a 180 metros de altura equilibrando-se numa fita ao sabor do vento. Lá embaixo, num belo anoitecer carioca, veem-se prédios, mata e a Lagoa Rodrigo de Freitas. O corajoso, craque do highline, mora em  Copacabana, perto do Corte do Cantagalo, onde realizou a proeza. Seu nome é Alexandre Anshul e ele é professor de pilates. Fez dez idas e voltas num percurso de 40 metros.  Caiu algumas vezes, mas, é claro, estava preso a um mosquetão salvador. Os registros fotográficos são de Bruno Graciano e, a partir deste sábado (2), estarão no site usereserva.com.br e nas mídias sociais da marca.

Barba, cabelo e bigode


cabeça raspada
cabeça raspada

Depois da batalha do passinho, que há cinco anos se tornou uma febre nas comunidades cariocas, vem aí a Batalha dos Barbeiros. A primeira edição em nível nacional começa neste fim de semana. Haverá disputas em São Paulo, Belo Horizonte, Salvador e no Rio, aqui realizada na Arena Dicró, na Penha. A abertura é neste domingo (3), ao meio­dia, com entrada gratuita. Com 24 desafiantes no total, a competição divide-se em três categorias: desenho (serão no máximo cinquenta minutos para terminar o corte), tradicional (vinte minutos) e barba express (um minuto só). Os vencedores levam máquinas e kits de beleza, além do direito de participar da grande final, em julho, no Rio.

Photoshop politizado


photoshop politizado
photoshop politizado

Fotógrafo especializado em trabalhos com mulheres comuns posando como modelos profissionais, Alle Vidal (do estúdio homônimo, na Barra) fez estes três cliques em 2012, mas achou por bem postá-los novamente no Instagram, por causa dos acontecimentos recentes na política nacional. Para ele, a pele da moça, aplicada no Photoshop, simboliza os sentimentos que o país vive. A cobra da imagem de cima faz referência à jararaca citada pelo ex-presidente Lula num pronunciamento. No meio, em preto e branco, surge “a mulher como ela é, neutra”. E a terceira foto, que mostra uma pele de onça, lembra, segundo Vidal, “uma guerreira que não foge à luta, tal como o felino”

500 roteiros

Este é o número de passeios bolados pelo Cariocando no Rio, criado em 2014, como portal, pela advogada Nicole Casares, do Leblon. Desde o mês passado, o serviço virou aplicativo, agora disponível para download gratuito em iOS e Android. Nicole costuma alugar um ônibus e levar trinta seguidores por um tour de um dia inteiro pela cidade e por municípios como Petrópolis e Búzios. Para direcionar melhor o público, revelando o que cada pessoa deseja, o app (já na lista dos cinquenta mais baixados pela Apple no Brasil) tem seções como “ela só quer dançar”, “boca foi feita para comer” e “um viva à mãe-natureza”.

 

Publicidade