Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Ministério da Saúde promove mutirão de cirurgias no Rio

O objetivo é desafogar as filas de maior demanda do Sistema Nacional de Regulação (Sisreg)

Por Agência Brasil 2 fev 2017, 19h02

Em operação conjunta com a Secretaria Municipal de Saúde, o Ministério da Saúde deu início a um mutirão de cirurgias, consultas e exames pré-cirúrgicos nos seis hospitais federais do Rio – Andaraí, Ipanema, Lagoa, Bonsucesso, Cardoso Fontes e Servidores.

O objetivo é desafogar as filas de maior demanda do Sistema Nacional de Regulação (Sisreg). O mutirão vai durar 90 dias, período em que os hospitais federais deverão fazer 5.460 cirurgias, consultas e exames pré-cirúrgicos.

Desse total, 3.160 serão cirurgias de média e alta complexidade, que atualmente só são feitas em escala maior nos hospitais do Ministério da Saúde no Rio de Janeiro, como de catarata, hérnia, vesícula e nas áreas de pediatria e dermatologia (como biópsias). Somente de catarata serão 1.400 cirurgias.

O mutirão organizado pelo Departamento de Gestão Hospitalar do Ministério da Saúde (DGH) prevê 2.300 consultas nas áreas de urologia, com exames de próstata, oftalmológica geral e para glaucoma, e dermatologia. As consultas são necessárias para o encaminhamento de pacientes para exames complexos e para cirurgias.

A ação de abertura de vagas será monitorada em tempo integral para o recebimento de novos pacientes, incluindo pessoas de outras regiões do estado do Rio de Janeiro, como a Baixada Fluminense, local que demanda muitos atendimentos de média e alta complexidade, como hospitalização, tratamento de câncer e hemodiálise.

A rede pública de hospitais federais no Rio já fez 14% de atendimentos de emergência a mais em 2016 do que no ano anterior, chegando a 106.884 atendimentos desse tipo.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade