Clique e assine por apenas 4,90/mês

Adolescente de 16 anos é morto após ser baleado no Borel

Policiais teriam confundido saco de pipoca com drogas e atiraram em Jhonatas Dalber

Por Agência Brasil - Atualizado em 5 dez 2016, 11h14 - Publicado em 1 jul 2016, 13h56

Um adolescente de 16 anos foi morto em uma ação envolvendo policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Morro do Borel, na Zona Norte do Rio, nesta quinta (30). A Polícia Militar (PM) diz que Jhonata Dalber foi alvejado durante um confronto entre policiais e criminosos armados. No entanto, moradores afirmam que não houve confronto e que apenas os PMs atiraram.

+ Agressores de médico esfaqueado no Leblon ganham liberdade provisória

Na versão oficial da PM, policiais da UPP se prepararam para abordar dois suspeitos em uma moto, na localidade de Curva do Horácio. Antes da abordagem, os dois sofreram uma queda e um deles atirou contra a equipe policial. Em seguida, ainda de acordo com a PM, homens armados que estavam em um beco próximo ao local, também começaram a atirar contra os policiais. Então, segundo a polícia, “um homem foi baleado e levado pelos policiais para o Hospital do Andaraí”. Ninguém foi preso pela PM.

Os moradores da comunidade dizem, no entanto, que não houve troca de tiros e apenas os policiais dispararam. Na versão dos moradores, os policiais confundiram Jhonata com um criminoso. Segundo eles, Jhonata estava com um saco de pipoca na mão. Os agentes da UPP acharam que se tratava de um pacote com drogas e o alvejaram. “O relato de todos os moradores é unânime. Não havia troca de tiros. Foi um tiro e depois se seguiram outros tiros (da polícia). A polícia nunca vai dizer que matou. A polícia sempre vai dizer que foi um confronto. Ela sempre vai utilizar essa lógica para justificar as mortes dos favelados”, destacou o morador Diego Francisco, de 28 anos.

Depois da morte, moradores fizeram um protesto, em que incendiaram latas de lixo. Segundo a PM, os moradores também arremessaram pedras e garrafas nos policiais. 

Publicidade