Clique e assine por apenas 4,90/mês

Maior ressaca do ano danificou quiosques, deque e calçadão do Leblon

Para os cientistas, foi apenas um fenômeno climático, mas houve gente que viu na fúria do mar sinais de que o apocalipse se aproxima

Por Pedro Tinoco - Atualizado em 5 dez 2016, 10h57 - Publicado em 5 nov 2016, 00h00

Era para ser apenas mais uma virada no tempo, daquelas surpresas meteorológicas que não comovem o carioca — no máximo, inspiram a ida ao Mirante do Leblon, ponto privilegiado para assistir ao espetáculo do mar zangado. Esse, aliás, é o tipo do programa legal para levar as crianças, mas acontece que, desta vez, o mirante quebrou, espatifou-se sob o impacto das ondas. Em outros pontos da orla diante da Avenida Delfim Moreira, as águas, só para chatear, elevaram-se a até 4 metros de altura — um desafio mesmo para o campeão mundial de surfe Gabriel Medina. Em seu nada doce balanço a caminho do asfalto, a ressaca do último fim de semana empurrou 65 toneladas de areia sobre pistas e calçadas, destruindo o piso e outros equipamentos urbanos pelo caminho. Sete quiosques foram atingidos, mas a maioria já estava em condições de funcionamento na segunda, 1º. Os dois mais prejudicados, ambos postos avançados do boteco chique Riba, exigiram mais tempo para reabrir porque tiveram maquinário de cozinha e refrigeração danificados — e a foto acima dá uma ideia do tamanho do estrago. Na manhã daquela mesma segunda-feira, a parte da ciclovia Tim Maia que liga São Conrado à Barra foi reaberta, após um breve e sensato período de interdição. O trecho do Leblon a São Conrado permanece fechado desde abril, quando duas pessoas morreram em desabamento provocado por uma intempérie menor do que a do último fim de semana. Uma explicação científica para o fenômeno dá conta de que ciclones extratropicais entre a Argentina e o Uruguai contribuem para a revolta marinha. Mas os ambientalistas radicais que juntam os riscos do aquecimento global ao fim do mundo enxergaram sinais inequívocos de que o apocalipse está próximo. Eles têm certeza de que o mundo acaba em tsunami.

+ Mar invade as pistas da orla durante ressaca no Leblon

+ Ciclovia Tim Maia é reaberta ao público após ressaca

Publicidade