Continua após publicidade

Mais livro, menos farmácia: médicos se unem para abrir sebo em Laranjeiras

Casa 11 tem 76 sócios - incluindo enfermeiros, nutricionistas, psicólogos e estudantes de medicina - e será aberta oficialmente no dia 15 de julho

Por Paula Autran
Atualizado em 7 jul 2023, 13h58 - Publicado em 7 jul 2023, 10h20

O remédio é simples e não tem contraindicação. Um grupo de 54 médicos – e mais nutricionistas, psicólogos e estudantes de medicina – se uniu para endossar a receita, prescrita para os cariocas a partir do próximo dia 15, quando inauguram oficialmente o sebo e livraria Casa 11, em Laranjeiras: “Mais livros, menos farmácias”. O que se tornou o lema da empreitada, numa cidade que vê muitos empreendimentos serem fechados para dar lugar a um sem número de drogarias, foi visto por uma das 74 sócias do estabelecimento numa pichação no muro de um terreno baldio perto da antiga Perinatal. “Quando li, vi uma sintonia clara com a sociedade adoecida de que falo no meu doutorado em Psicologia. Estou fazendo minha parte no tratamento dela”, conta a clínica geral Rita Iglezias.

+ Por que a Praia do Flamengo (ou Catete) tem estado própria para banho

A história começa quando a também médica Ana Mallet – que foi dona da livraria Largo das Letras, em Santa Teresa, por cerca de 20 anos e também cursou Letras – viu o imóvel vazio, numa galeria da Rua das Laranjeiras, e teve uma ideia. Ela sugeriu a um grupo de colegas que se juntassem para alugar o espaço, com cada um dando 100 reais: “Podíamos abrir um sebo!”. “Fiquei com aquilo na cabeça. Como trabalho no Instituto Nacional de Cardiologia, quase em frente, resolvi atravessar a rua para dar uma olhada. Na volta, respondi: topo!”, relembra Rita. Não foi a única. O grupo cresceu, e inclui ainda 20 profissionais da área de educação e dois economistas. “Somos um coletivo de apaixonados por livros. Todos amadores, no melhor sentido”, resume a médica, explicando que as decisões são tomadas num grande grupo de WhatsApp. Eles se dividiram em comissões, como as de doações e compras, limpeza e redes sociais.

O nome do milagroso remédio, assim como a logomarca, foi escolhido assim. O “casa” vem das próprias características do imóvel que, apesar de estar no interior da galeria, tem porta, janelas e a própria numeração (11) como as de uma casinha de vila. Rita foi buscar na astrologia os subsídios para defender sua proposta de nome, que acabou vencendo a acirrada eleição. “Não sei nem qual é meu ascendente”, frisa a canceriana, “mas descobri que a penúltima casa da Mandala Astrológica nos fala essencialmente dessa coletividade. Os valores humanos, as ações em conjunto, a solidariedade, como olhamos e cuidamos do outro, as amizades que marcam nossa vida e nos abrem a outros círculos sociais”.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Fechado o negócio e escolhido o nome, faltava encher aquele espaço vazio. “O universo começou a conspirar. Uma amiga disse que estava com mil livros para doação, e acabou doando até estante. Outros contribuíram com mesa, cadeiras”, enumera Rita. Já estão lá cerca de 3.000 livros, entre novos e usados, e mais 2.500 ficaram guardados num “cafofo” que virou uma espécie de reserva técnica. O local, ainda que involuntariamente, já está funcioanando numa espécie de soft opening: “As pessoas entram, olham, gostam de alguns exemplares e querem comprar. Mesmo antes de ter maquininha ou PIX oficial falo para levarem e pagarem depois. Uma pessoa me disse: ‘mas você nem me conhece’. Se mora aqui perto e só voltar depois e fazer o pagamento”, diz a médica. O importante é encontrar a cura.

A Casa 11 fica na Rua das Laranjeiras, 371, loja 11.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.