Continua após publicidade

O novo Largo do Boticário: como ficará o casario após a revitalização

Até julho, seis imóveis históricos darão lugar a hotel de rede francesa Accor, com direito à coworking e bares abertos também a não hóspedes

Por Da Redação
9 Maio 2022, 15h52

O resultado das obras de revitalização do casario do Largo do Boticário já chama a atenção de quem passa por esse canto bucólico do Cosme Velho, perto da entrada do Túnel Rebouças. Até julho, estará tudo pronto, por fora e por dentro, para a inauguração do hotel Jo& Joe, marca mais descontraída da rede francesa Accor. O empreendimento ocupará uma área de 4.158 metros quadrados dentro de uma superfície total de seis mil metros quadrados. Ao todo, serão 80 quartos que poderão acomodar até dez pessoas, mas também haverá acomodações privativas. O investimento total ficou em torno de R$ 70 milhões, incluindo a compra das seis casas do local.

+ Moradores alimentam jacarés no Recreio: isso é crime ambiental?

Com a construção do hotel, a Accor se comprometeu a realizar a requalificação e restauração completa do complexo, que foi tombado em 1987 pelo Instituto Estadual de Patrimônio Cultura (Inepac), respeitando o projeto original.  “A revitalização do Largo do Boticário é um presente para o Rio e para o Brasil. Ao reabilitar um local histórico, criamos um novo ponto turístico. O projeto de reavivar os casarões manterá a identidade clássica do local e proporcionará opções de acomodação e entretenimento, tanto para hóspedes quanto para moradores da cidade”, disse ao Globo Olivier Hick, COO das marcas Econômicas e Midscale da Accor no Brasil. O complexo contará com restaurante, dois bares e espaço de coworking que poderão ser frequentados não apenas por hóspedes. Haverá ainda áreas sociais, três piscinas, salão de jogos e um terraço com cadeiras de praia e vista para o Cristo Redentor.

+ Para receber VEJA RIO em casa, clique aqui

Continua após a publicidade

Para celebrar a empreitada, a empresa produzirá e publicará um livro que conta a história do local e mostrará o desenvolvimento dos trabalhos de revitalização arquitetônica com supervisão feita pelo Inepac. Em “Largo do Boticário: história e requalificação”, os autores Sérgio Lamarão e Luis Octavio Gomes de Souza contam em detalhes toda a história do cartão-postal carioca. Nos anos 1990, Sybil Bittencourt, a única herdeira da família Bittencourt, última dona do conjunto, deixou de lado a conservação dos imóveis, que chegaram a ser invadidos por moradores sem-teto. A área ao redor, de floresta nativa, que também é patrimônio listado, foi preservada.

Conhecido no Rio e no mundo, o Largo do Boticário já serviu até de locação para uma produção do agente secreto mais famoso do cinema: “007 contra o foguete da morte”, de 1979.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.