Continua após publicidade

Karol Conka denuncia assédio sexual no Sheraton do Leblon

"Quando você se cala diante de uma situação de abuso e agressão, você é cúmplice", afirmou a cantora

Por Agência Estado
Atualizado em 12 dez 2017, 14h00 - Publicado em 12 dez 2017, 13h59

karol-conka.jpeg

Nesta segunda-feira, 11, a rapper e atriz Karol Conka estava no Sheraton Rio, no Leblon, zona sul da cidade, quando presenciou um homem estrangeiro assediando duas mulheres na área da piscina. Ela relatou o caso em vídeos publicados no Stories do Instagram.

“A gente está aqui no Sheraton curtindo um final de trabalho para chegar esse gringo filho da p**a, aproveitador, e chamar as meninas de p**a e passar a mão nelas. É o dia inteiro isso, todo dia isso, gringo folgado. Agora, eu acho que a medida que tinha que ser tomada pelo Sheraton é a seguinte: o cara passou a mão nas meninas, fez gesto obsceno, tira o cara do local onde está todo mundo curtindo e vai resolver para lá. Mas não, estão aqui tranquilamente, só faltam dar beijinho na testa do tarado do c*****o”, falou a cantora.

Karol então mostrou as duas mulheres que foram assediadas, e uma delas, indignada, disse: “Agora imagina se é uma garota menor, que tem 10, 11 anos?”. A cantora voltou a publicar mais vídeos após alguns minutos para contar o desfecho da história, revelando que ela teve de partir para a agressão física para defender as vítimas devido à negligência do hotel.

“A gerência do hotel disse que levou ele para lá, não acabou resolvendo muito. Na verdade, quem teve que resolver fui eu, acabei dando na cara dele. O pior é a galera justificar essa atitude ridícula falando que ele está bêbado, fora de si. Esses
gringos têm que aprender, e todos vocês, caras folgados: não importa se você bebeu, você tem que respeitar. O que eu fico mais indignada é que, se não fosse eu chegar aqui e causar um auê, o pessoal, os seguranças continuariam assistindo a ele assediando a mulher e não iam fazer nada”, contou.

Continua após a publicidade

A artista ainda falou que, no momento em que bateu no homem, os seguranças tentaram impedi-la. “Sabe o que foi pior? Na hora em que eu dei na cara desse merda, desse lixo, os seguranças falaram assim: ‘Não agrida’. Ah, então ele pode chegar aqui e passar a mão na menina, ficar com o ‘bindolo’ (sic) de fora, se masturbando, e eu não posso dar na cara desse lixo? Quando você se cala diante de uma situação de abuso e agressão, você é cúmplice. Quando você vir uma situação dessa, reaja, não fique ao lado do agressor”, finalizou.

Karol ainda publicou um texto, dizendo que o Sheraton Rio não está preparado para lidar com situações de assédio sexual. Procurado pela reportagem, o hotel não havia enviado resposta até a publicação desta matéria.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Tudo o que a cidade maravilhosa tem para te
oferecer.
Receba VEJA e VEJA RIO impressas e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe mensalmente Veja Rio* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de Rio de Janeiro

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.